19 de março de 2017

Especial: Guia da Temporada de Primavera 2017










Antes tarde do que nunca! O mais novo guia de temporada do Animecote chega um pouco em cima da hora em comparação a outras edições após eu ter me atrasado no início de sua montagem - mas o que importa é que ele está aqui, com os textos grandinhos de sempre, centenas de imagens, outras centenas de links e comentários que às vezes podem ser um tanto ranzinzas e excessivos, mas se essa postagem recebeu tanto apoio na temporada passada para que eu continuasse com ela é porque algumas pessoas a aprovam, então isso será levado adiante até quando der.


*****

A temporada de primavera é habitualmente inchada de continuações, uma vez que as franquias de mil e um animes de jogos de carta ou de qualquer outra coisa, mais os eternos mahou shoujo reiniciam suas histórias com novos argumentos e personagens que auxiliarão na venda de produtos diversos. Dentre as sequências que são de fato as mais aguardadas, um bando de adolescentes segue treinando para se tornarem futuros heróis enquanto outros arriscam a vida lutando contra gigantes, dos quais grandes segredos serão revelados. Acompanharemos um guerreiro continuando sua sofrível saga com sofrível CGI (ôpa), uma família de tanukis em novos conflitos contra tengus, humanos ou eles próprios, um rapaz prosseguindo com sua ideia de formar a garota perfeita no seu harém igualmente perfeito e um garotinho tendo novas pequenas aventuras ao lado de sua adorável foca de estimação - não esquecendo ainda o drama de certo jovem e seu envolvimento com youkais e as façanhas de uma competente, porém burrinha garota ninja em sua missão de servir Oda Nobunaga e ajuda-lo na unificação do país.

Falando em ninjas, teremos a chegada de outro em cena, este seguindo os passos do pai igual fará um garoto ao se tornar duelista de jogo de carta por influência daquele que o criou - é bonito ver os filhos escolhendo tais carreiras por vontade própria e admiração aos pais e não porque foram obrigados, contudo no meu caso preferiria ter um trabalho de carteira assinada e salário fixo mesmo. De profissões inusitadas ou em situações incomuns teremos também um professor baixinho (muito baixinho, um tampinha) dando aulas para 4 orgulhosos e belos príncipes, garotas atuando como embaixadoras de uma cidade em decadência, uma anjo cupido que adora formar casais homossexuais com seu caderninho preto, uma garotinha atuando como espantalho no interior (tempos difíceis, esses!) e um adolescente de 15 anos trabalhando como escritor daquelas benditas light novels que toda temporada me dá uma enorme preguiça de pegar para ler. Vale mencionar que ele tem como parceiro um ilustrador que faz desenhos muito pervertidos e do qual, coincidência absurda, é descoberto que trata-se de sua meia irmãzinha de somente 12 anos, garota que o escritor precoce demostrará gostar mais do que seria o normal entre membros de família.

Daí falamos que a China copia de tudo e de todos de qualquer jeito, contudo estará trazendo a adaptação de uma história focada noutro casal de irmãos... Que agem como irmãos de verdade, brigando, discutindo, zoando um ao outro, se apoiando quando necessário e etc. Aprenda com eles, Japão, por favor!


De resto, entre tipos de arroz japoneses antropomorfizados em bonitos rapazes e robôs personificados em garotas de 15 centímetros que você recebe em casa sem pagar nada por isso, a temporada ainda trará de um lado os confrontos de um estudante folgado numa escola na qual as garotas têm permissão de andar armadas e os garotos, coitados, que fiquem quietinhos se vestindo e agindo como mulheres caso não queiram arranjar confusão (feministas adorarão), enquanto do outro lado uma moça pegará o lugar do irmão numa escola masculina onde só há delinquentes, os quais alguns darão em cima dela (isso pode ser considerado yaoi, já que não sabem de sua identidade real?). Ainda na divisão de sexos, três irmãos nos agraciarão num anime com diálogos e cenas em primeira pessoa, e mulheres demônios sensuais baseadas numa coleção de figures lutarão entre si usando trajes pecaminosos.


Pecado? Não sei qual será o maior no final da temporada, se o de um sacerdote numa relação carnal e infiel com uma mulher, ou um projeto original repleto de bons profissionais em torno de um argumento duvidoso onde personagens de mangás, light novels e jogos ganham vida e se confrontam no mundo real (posso queimar a língua, mas tem cara de bomba a caminho!)... 


*****

Há listadas por ora 47 estreias, porém esse número aumentará, no mínimo, para 61. A razão disso é que há mais 14 animações já confirmadas que preferi ir adicionando aos poucos nos próximos dias, para que o post não atrasasse. Segue abaixo a relação dos títulos faltantes:

Alice to Zouroku (Adicionado)
Kabukibu! (Adicionado)
Warau Salesman New (Adicionado)

Como de praxe, disponibilizarei logo adiante outra fonte para divulgação das estreias de OVAs, Movies, Specials e OADs que virão nos próximos meses. Já para séries de TV e ONAs, continuarei com comentários pessoais meus em boa parte dos animes, principalmente naqueles cuja obra original eu pude conhecer um pouco - nessa temporada chegarei a cerca de 14 títulos lidos contando os que ainda serão adicionados, havendo uma quantidade expressiva de light novels após algumas temporadas fracas para adaptações desse tipo de mídia. Certamente um anime que estou aguardando muito agora poderá ser uma droga, ou um que só menosprezei poderá se mostrar muito bom (e às vezes eu também acerto, vai!); mas enfim, são apenas especulações, de acordo com a visão que tive do material original ou da equipe envolvida na produção.


*****

Como esse post está sendo feito com certa antecedência, muitos dados novos surgirão ou terão de ser corrigidos; desse modo, manterei logo a frente uma relação das atualizações realizadas aqui. A propósito, todos os animes possuem em seu título um link que o leva às suas respectivas páginas no MyAnimeList.

Concluindo, as datas de estreia se referem ao dia exato da primeira exibição do anime (excluindo pré-estreias), não importando o horário. Ex: em alguns sites colocam que anime X estreará dia 6 de abril, sendo que sua estreia será à 1:00 da manhã já do dia 7; mas aqui a data estará como dia 7 de abril mesmo.



PS: Comentários são bem-vindos; ou, para ser exato, eu quero que comentem! Claro, só estou sendo um pouco exagerado, mas feedbacks para algo que levou semanas para ser montado (e que nem chegou ao fim ainda) é, assim, um ótimo "pagamento", que me motiva a continuar com essa postagem em temporadas futuras. Não se preocupe com o tamanho ou conteúdo do comentário: somente deixar seu suporte, crítica ou sugestão já me será o suficiente.

PS (2): Dê o seu voto: No final do post há uma enquete perguntando quais animes você pretende ver nessa temporada, apenas para se ter uma ideia de qual é a predileção do público do Animecote. O resultado será divulgado no início de abril. 


PS (3): Participe do sorteio de jogos no aniversário de 5 anos do Animecote! Basta acessar esta página para saber como participar e ter chance de ganhar um dos 5 jogos a serem sorteados. O prazo para as inscrições termina dia 24/03, sexta-feira.






*****


Aos que quiserem ver de forma mais sucinta as estreias não somente de séries de TV, como também OVAs, Movies, Specials e OADs, recomendo usarem o Anichart, um famoso site que disponibiliza de forma personalizável e constantemente atualizada as informações das estreias de cada temporada.



**********


Atualizações:

23/03: Corre que ainda dá tempo: Falta 1 DIA para o término das inscrições no sorteio que dará 5 jogos no mês de aniversário do Animecote! Clique aqui para saber como participar.
23/03: Adicionado novo trailer de "Sin: Nanatsu no Taizai" (Página 2).
23/03: Adicionado novo trailer de "Oushitsu Kyoushi Haine".
23/03: Adicionada a informação "Site oficial" do anime "Beyblade Burst God".
23/03: Adicionada a informação "Data de estreia" do anime "Duel Masters (2017)".
23/03: Adicionada a informação "Estúdio" do anime "Makerunai!! Aku no Gundan!".
23/03: Adicionada a informação "Data de estreia" do anime "Natsume Yuunjichou Roku".
22/03: Adicionado o anime "Warau Salesman New" (Página 2).
22/03: Adicionado o anime "Alice to Zouroku".
21/03: Adicionado o anime "Kabukibu!".
20/03: Animes que planejo adicionar nos próximos 3 dias: "Alice to Zouroku", "Kabukibu!" e "Clockwork Planet".
19/03: Corrigidos vários pequenos erros de digitação e formatação.
19/03: Corrigido o link da informação "Trailer" do anime "Sin: Nanatsu no Taizai", que levava a um vídeo de outra animação da temporada passada. 
19/03: Corrigido o link da informação "Trailer" do anime "Frame Arms Girl", que levava a um vídeo de outra animação da temporada passada. 
19/03: Conforme apontado nos comentários, foi corrigido no texto do anime "Makerunai!! Aku no Gundan!" um pequeno erro em relação a um dos personagens dublados por Kappei Yamaguchi.
19/03: Adicionado novo trailer de "Re: Creators".
19/03: Revisão de todos os textos e links em andamento.




**********

Formato: TV (3 min. por episódio)
Data de estreia: 15/04
Estúdio: Oriental Light and Magic
Diretor: Yo Miura
Gênero: Comédia
Tema: Escolar
De onde saiu: Mangá, 3 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Se em outro anime mais adiante teremos um professor (baixinho) muito inteligente, aqui será visto o extremo oposto: Baseado num mangá publicado desde 2015 na revista infantil CoroCoro Comic ("Doraemon", vários títulos de "Pokemon"), "100% Pascal-sensei" trará como protagonista um professor do ensino fundamental que é tão estúpido, mas tão estúpido, que mal consegue escrever direito seu próprio nome - apesar disso ele faz o que bem entende na sala de aula, e pela imagem acima e trailer dá pra perceber que não estamos falando de um ser humano.

Não há nada traduzido de seu mangá, e comentários rasos a seu respeito que achei por aí apenas informam que trata-se de uma comédia gag cheia de reações exageradas e diálogos barulhentos. Seu autor, o mangaká Yuuji Nagai, já teve outra obra sua adaptada para a televisão em 2008, nesse caso "Penguin no Mondai", um mangá de 15 volumes publicados entre 2006 e 2012 que narrava a vidinha de Beckham Kinoshita, um pinguim do ensino fundamental que adorava hambúrgueres e batatinhas - que absurdo um personagem desses num mangá infantil, incentivando a obesidade entre crianças! (estou brincando, viu)

Agora, se tiver mesmo visto os trailer linkados (porque tal estreia é do tipo que a maioria dos leitores passa batido ao ver só a imagem), perceberá que metade do primeiro é sobre outro anime de nome "Puripuri Chii-chan!!", o qual se encontra logo abaixo no guia: A razão disso é que ambos farão parte de um novo bloco de animes criado pelos canais MBS e TBS que será chamado de "Anime Saturday 630" e terá uma hora de duração nas manhãs de sábado - há também uma terceira estreia intitulada "Tomica Hyper Rescue Drive Head", e este novo bloco surge após a extinção do longevo "Nichigo", programa que exibia animes nesses mesmos dois canais nas manhãs de domingo desde 1983, quando começou sua transmissão passando o clássico "Macross". Já o segundo link é, por mais estranho que possa parecer, do sexto episódio do anime, que ficará à disposição online até o dia 15 de abril porque desde outubro do ano passado tem sido lançado um episódio por mês pela internet (que são deletados dias antes da estreia do próximo, e parece que são os mesmos a serem exibidos na televisão). Nele o professor Pascal vai todo orgulhoso com um de seus alunos, Hayato, ver como ficou justamente o seu próprio anime, porém logo se desanima ao descobrir que este é de baixíssima qualidade, isso enquanto o produtor da série tenta dar mil e uma desculpas para explicar o ocorrido antes de acabar fugindo da sala de exibição...

Produzido pelo estúdio Oriental Light and Magic, "100% Pascal-sensei" traz Yo Miura na direção, Ryouichi Mori na supervisão de roteiros, Shunsuke Takizawa na trilha sonora e Kazumi Sato ("Initial D: Third Stage", vários filmes de "Pokemon") no "character design". 


**********

Formato: TV (5 min. por episódio)
Data de estreia: 03/04
Estúdio: Fanworks
Diretor: Ryousuke Aoike 
Gênero: Comédia / Sci-fi
De onde saiu: Jogo para dispositivos móveis
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Baseado num jogo que ainda será laçado para dispositivos Android e iOS durante a primavera, "Akindo Sei no Little Peso" se passa em Akindo, o planeta que mais arrecada dinheiro em todo o universo (paraíso fiscal?). Nele, o príncipe Peso - o baixinho da imagem acima - leva uma vida de vagabundo ao jogar em seu smartphone o dia inteiro e gastar fortunas nesses jogos realizando micro transações, porém o rei cansado dessa situação ordena que o filho faça uma viagem espacial e traga todo o dinheiro do universo até ele. A partir desse ponto, Peso conhecerá diversos alienígenas e se envolverá em batalhas empresariais(?).

O irônico nisso tudo é que, no site desse futuro jogo sobre um príncipe viciado em joguinhos de celular que de gratuitos não têm nada, já é possível ver explicações sobre os itens e vantagens que poderão ser comprados nele - e há inclusive um evento ocorrendo desde fevereiro onde, de acordo com o número de retweets feitos nessa mensagem, serão sorteados prêmios como câmera instantânea, massageador de pés e itens a serem usados dentro do jogo

Confesso que é a primeira vez que vejo um massageador desses, que pelo menos nesta foto não parece ser muito cômodo na prática...

A ser produzido pelo estúdio Fanworks ("Aggressive Retsuko", "Gakkatsu!"), que só cuida de animações de curta duração, "Akindo Sei no Little Peso" virá com Ryousuke Aoike tanto na direção, quanto na supervisão de roteiros.


**********


Formato: TV
Data de estreia: 02/04
Estúdio: J.C. Staff
Diretor: Katsushi Sakurabi ("Flying Witch", "Kami-sama no Memo-chou", "Lostorage incited WIXOSS", "Uragiri wa Boku no Namae o Shitteiru")
Gênero: Drama / Fantasia / Slice-of-Life
De onde saiu: Mangá, 7 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Quando começo a coletar as primeiras informações para estes guias eu uso o MyAnimeList como base para saber quais estreias possuem material traduzido: Faço isso vendo o número de usuários que adicionaram em suas listas o respectivo mangá ou light novel dela, e caso a quantidade seja muito baixa pode ter certeza de que não acabará achando nenhuma tradução dele - e me desanimei quando vi que o mangá de "Alice to Zouroku" havia sido adicionado por apenas seis usuários até o momento...

Não que eu estivesse assim tão empolgado em ler seu mangá, mas convenhamos que não é nada comum ver em animes um par de protagonistas formado por um senhor de idade ranzinza e uma garotinha loira que ele passa a cuidar por certos motivos.

Tal obra é publicada desde 2012 na revista seinen Monthly Comic Ryuu ("Monster Musume no Iru Nichijou") por Tetsuya Mai, que ganhou com este título a categoria dedicada a mangakás novatos na 17ª edição do "Japan Media Arts Festival" em 2013. Sua trama ocorre num mundo onde certas garotas possuem um poder chamado "O Sonho de Alice", que as permitem fazer coisas que vão contra as leis da física, como voar ou materializar objetos e armas, por exemplo - a pequena Sana é uma delas, e no começo a vemos escapar de um avançado laboratório onde estas crianças são trancafiadas e tratadas como cobaias. Nesta sua fuga a garota conhece Zouroku Kashimura, um idoso que trabalha numa floricultura com sua neta Sanae, e a partir disso este rígido, porém bondoso senhor passará a cuidar de Sana enquanto tenta decidir o que fazer com ela.

Cheguei a baixar 3 volumes do mangá em japonês, porém preferi ver só o primeiro para evitar muitos spoils - apesar de que eu estaria mentindo caso dissesse que entendi a fundo mais de 40% da história. Posso no mínimo falar que, após Zouroku e Sana se encontrarem pela primeira vez numa loja de conveniência - onde a garota se mostra espantada com o "mundo de fora" do laboratório e já revela pra ele seus poderes -, a dupla rapidamente esbarra com Asahi e Yonaga Hinagari, duas irmãs gêmeas também usuárias do "Sonho de Alice" que possuem habilidades diferentes aos dela. Após muita confusão e destruição, o próprio Zouroku interrompe tudo dando belos cascudos e sermões nas três garotas, deixando claro que não será um velho bondoso e molenga só porque um bando de lolis começaram a surgir do nada na sua frente, e em seguida o mangá esfria os ânimos ao mostra-lo tentando compreender melhor a origem de Sana enquanto esta passa a morar na casa dele com sua neta (que mora com o avô porque perdeu os pais quando criança) - no primeiro volume surgem ainda pequenos flashbacks de uma tragédia envolvendo a garota anos atrás, além de breves diálogos entre pessoas que fazem parte da organização que a mantinha em confinamento.

Claro que esse meu comentário é muito por cima, contudo o início do mangá me pareceu uma mescla de slice-of-life suave com um potencial drama a ser desenvolvido aos poucos - e como eles poderão apelar nisso ao ter um velho e uma criança de protagonistas, hein! Quanto aos demais personagens, a maioria não tem descrições muito interessantes no site oficial (e eu não consegui traduzir todos os textos...), valendo a pena citar somente Ryuu Naitou, um policial velho amigo de Zouroku que está investigando e parece conhecer alguns segredos sobre o laboratório de onde veio Sana; e Shizuku Ichijou, membro de uma tal "Cabinet Information Research Office Special Duty Forces Squad B" (!) que é usuária do "Sonho de Alice" e, curiosamente, pode usar exatas 666 armas e 13 livros mágicos.

A ser produzido pelo estúdio J.C. Staff e com previsão de ter um episódio especial de 1 hora de duração em sua estreia, "Alice to Zouroku" virá com Katsushi Sakurabi na direção, Fumihiko Takayama ("Aoi Hana") na supervisão de roteiros, TO-MAS ("Flip Flappers") na trilha sonora e Kazunori Iwakura ("Ai Yori Aoshi", "Magimoji Rurumo") no "character design".


**********


Formato: TV (5 min. por episódio)
Data de estreia: 07/04
Estúdio: Fanworks
Diretor: Rareko ("Eikoku Ikke, Nihon o Taberu", "Gakkatsu!")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
Tema: Escolar
De onde saiu: Web manhua.
Trailer: Clique aqui

E a invasão chinesa já começou cedo no guia: Baseado num web manhua cujas tirinhas são publicadas desde 2014 no site Kuaikan Manhua, "Ani ni Tsukeru Kusuri wa Nai!" possui como protagonistas Shi Fen (a ser dublado pelo popular Yuuichi Nakamura) e Shi Miao (Sora Amamiya), dois irmãos que se importam e cuidam um do outro apesar das constantes discussões, das brincadeiras estúpidas dele e dos frequentes atos de violência dela. Há no momento 79 tirinhas à disposição no site gratuitamente, e elas por ora já foram publicadas em dois volumes físicos.

Um dos anúncios desse anime diz que a obra original é focada principalmente no amor fraterno e, curiosamente, em comida - o que de início achei estranho, mas após ver um pouco do manhua deu pra perceber que muitas historinhas deste casal de irmãos mostram eles ou preparando, ou brigando por comida mesmo, tais como essa, essa e essa por exemplo (peguei 3 que dá pra entender sem precisar ler os diálogos), onde a piada de maior recorrência é ele tentando tirar vantagem da situação e ela, simplesmente, socando, estrangulando ou derrubando o irmão no chão no final. É ainda possível vê-los brigando durante um mero jogo de cartas ou em qualquer outra situação que possam imaginar entre dois adolescentes membros de família, porém também flagrei aqui e ali várias tirinhas mais suaves que retratam o quão Fen e Miao se dão bem e se ajudam quando precisam, seja na fase atual de suas vidas ou na época da infância. Por fim, outro tema que parece ser abordado com maior intensidade a partir da metade do material existente hoje é o amor, em especial a paixonite de Miao por Kai Xin (Kensho Ono), melhor amigo de seu irmão - clique aqui e aqui para ver duas pequenas histórias mostrando o quão a garota fica toda perdida ao lado do rapaz.

Incesto ou pseudo incesto? Não, nada, e foi isso que achei mais legal neste manhua. Não sei dizer se o anime de baixíssimo orçamento será tão interessante quanto aparenta o pouco que vi no site, mas só por não se apresentar com um incesto forçado já o faz ganhar alguns créditos na minha visão.

A propósito, entre todas as tirinhas em que passei esta me foi de longe a melhor, onde os irmãos desistem de entrar num restaurante que está oferecendo comida de graça (ou com grande desconto, não entendi ao certo) para casais no Dia dos Namorados, e no fim o garoto chama o melhor amigo para fingir que estão juntos, protagonizando assim duas cenas bem cômicas...

A ser financiado pela Tencent (empresa chinesa que atua em diversos ramos, desde o entretenimento em geral a serviços adicionais de internet e telefonia móvel) e produzido pelo estúdio Fanworks ("Aggressive Retsuko", "Gakkatsu!")"Ani ni Tsukeru Kusuri wa Nai!" virá com Rareko tanto na direção, quanto na criação dos roteiros (é um bom nome para séries de curta duração).


**********

Formato: TV
Data de estreia: 15/04
Estúdio: Oriental Light and Magic / Production I.G / Signal MD
Diretor: Katsuyuki Motohiro ("Psycho-Pass")
Gênero: Ação / Sci-fi
De onde saiu: Mangá, 4 volumes, em andamento - spin-off do mangá de 1952.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Primeiro, uma breve(?) explicação: Aos que não são familiarizados, "Tetsuwan Atom" - ou como é mais conhecido no ocidente, "Astro Boy" - é um mangá de 21 volumes publicados entre 1952 e 1968 por Osamu Tezuka (1928-1969), mangaká renomado que influenciou bastante tal mídia com seus trabalhos. Nesta obra em particular cuja história se passa no início do século 20 o protagonista é Atom, um robô criado pelo Ministro da Ciência e roboticista Umatarou Tenma como uma tentativa de substituir seu filho Tobio, que foi morto em um acidente de carro. Tenma o programou para ser uma máquina bondosa e gentil (apesar de possuir habilidades como força equivalente a 100 mil Cv, luzes de alta intensidade em seus olhos, super audição, tradução instantânea de várias línguas, metralhadora retrátil em seus quadris e por aí vai), contudo logo percebe que Atom não seria capaz de cumprir sua "missão" uma vez que não poderia crescer ou realizar expressões - por conta disso, ele acaba sendo rejeitado e vendido para Ham Egg (personagem muito recorrente nas obras de Tezuka, principalmente no papel de vilão), um cruel diretor de um circo de robôs.

Após certo tempo Atom conhece o professor Ochanomizu, novo Ministro da Ciência que decide tira-lo do circo, se tornando seu guardião. Percebendo suas habilidades e a capacidade e interesse dele em experimentar emoções humanas, o professor coloca o robô para combater o crime - e era através desse cenário que Tezuka inseria várias lições de moral e criticas a sociedade, postura frequente em seus títulos.

O mangá gerou um anime de 193 episódios em 1963 (que foi o primeiro na história a ocupar um bloco de meia hora na televisão), outro de 50 episódios em 1980 e mais um de 50 em 2003 - os dois últimos já possuem vários pontos em si que os diferem da trama original. Ainda posso citar, entre outras adaptações, uma história em quadrinhos americana de 1987, um mangá de 3 volumes de 2003 e um não muito bem recebido filme em CG de 2009.

Okay, agora voltemos a atenção para o título que se baseia este anime.

Iniciado em 2014 na revista seinen Shogakukan Monthly Hero, "Atom: The Beginning" é de autoria de Tetsuroh Kasahara ("RiderBack") e supervisionado pelo próprio filho de Tezuka, Makoto Tezuka. Dá pra dizer que sua história ocorre antes de "Tetsuwan Atom", porém seu cenário quase não tem ligação com o enredo original: Aqui conhecemos um Japão que, após sofrer uma inexplicável catástrofe cinco anos atrás, tornou-se um país onde a tecnologia robótica se desenvolveu intensamente com o pretexto de revitalizar a nação e sua economia - isso tem lá seus apoiadores, bem como aqueles que são contra essa tendência devido ao domínio crescente dos robôs em diversas áreas. Ochanomizu e Tenma são dois jovens pesquisadores que estudam robótica na universidade de Nerimae atualmente estão dedicando seu tempo com Six, a sexta versão de um robô que eles usam para desenvolver um projeto sobre Inteligência Artificial e que o mangá anuncia como o predecessor de Atom. Por falarem e agirem de maneira tão emocional em um campo no qual a racionalidade predomina, a dupla é vista com descrédito por seus colegas de universidade, e dentre outros personagens que são rapidamente apresentados temos Moriya, um muito elogiado estudante cadeirante que é tratado como rival por Ochanomizu e Tenma (aquilo de visões tão opostas sobre o mesmo assunto); e Ran e Motoko, respectivamente irmãs mais novas de Moriya e Tenma - a primeira é uma adolescente quietinha que adora robótica tanto quanto o irmão, e a segunda uma bela e mimada mulher que faz sucesso com o sexo masculino, entretanto se encontra numa situação inédita ao se interessar por um nerd (Tenma...) que mal lhe dá bola...

O mangá possui poucos 6 capítulos traduzidos, e digo-lhes que, se eles não abordam o que deverá ser o argumento central da obra, ao menos apresentam algumas boas ideias. Exibindo um estilo de humor ingênuo e até bobinho em alguns momentos (talvez por influência do filho de Tezuka), posso resumir seus eventos em um ataque feito por um robô misterioso sobre Ran, que é defendida pelo ainda em fase de testes, mas já competente e forte Six; um bico como carregadores de móveis feito pelo trio principal a fim de arrecadar fundos para sua pesquisa (cientistas desacreditados = pouca verba, sabem como é), trabalho esse em tese simples que se complica quando Six precisa agir para impedir que um caminhão descontrolado cause um grave incidente; e por último, um brutal torneio de lutas entre robôs onde Six é inscrito por seus donos devido ao generoso prêmio em dinheiro - e a esse ponto ficou claro que ele possui uma tremenda força, porém, ao levar as ordens de Tenma ao pé da letra e aproveitando as regras vagas do torneio que apenas dizem que um robô perde ao não ser mais capaz de mover-se, Six acaba ganhando suas lutas simplesmente desabilitando os rivais de se locomover ao retirar suas peças vitais (ou pilotos!), algo que de início irrita os espectadores ávidos por ver máquinas se destroçando, mas logo mudam de ideia e passam a torcer pro franzino "Filho bondoso da ciência", apelido esse dado pelo romântico Ochanomizu. A minha leitura terminou com a conclusão do confronto entre o futuro Atom e um robô, tecnologicamente muito avançado, que venceu o torneio nos últimos dois anos e que Ran identifica como sendo aquele que a atacou. Nesta hora Six mostra de novo como raciocina de modo mais diferente e independente, igual ao que seus criadores ambicionam com a AI que estão desenvolvendo, ao tentar dialogar para saber a razão de ter feito isso, conduta essa que não parece surtir efeito, o obrigando a lutar de todo modo. Não direi como essa parte termina, mas, antes disso os protagonistas já tinham descoberto que a controladora do robô faz parte de uma organização militar, o que deixa ainda mais estranho o fato de pesquisadores jovens terem sido alvos deles.

O que me fisgou na história e me fez dar uma chance ao anime (já que pelo mangá nem tenho mais o que ler mesmo) foi justamente esse último "arco", que trouxe boas reviravoltas, uma pitada de ação mais empolgante e uma série de dúvidas jogadas ao ar que podem - ou não - incrementar seu enredo. O mistério por trás da tal catástrofe de cinco anos atrás, o interesse de uma organização militar por Tenma e Uchanomizu, a importância e envolvimento que o "rival" deles, Moriya, poderá ter mais a frente, a personalidade criada em cima do "gentil e educado robô" protagonista Six, a ambientação de uma sociedade na qual a robótica faz parte do dia a dia das pessoas... Não são elementos nada originais, mas com exceção da comédia que em certas cenas achei besta eu gostei da montagem deles. Parece por enquanto bem "assistível" como anime, ainda que nunca tenha tido paciência de ver muitos episódios da série que o inspirou (podem elogia-la e etc, mas é bastante datada)...

A ser produzido pelos estúdios Oriental Light and Magic, Production I.G. e Signal MD, "Atom: The Beginning" virá com Katsuyuki Motohiro como diretor chefe, Tatsuo Sato ("Cat Soup", "Mouretsu Pirates") de diretor assistente, Jun'ichi Fujisaku ("Blood+", "Moshidora") na supervisão de roteiros, Noriyuki Asakura ("Sidonia no Kishi", "Rurouni Kenshin") na trilha sonora e Takahiro Yoshimatsu ("Overlord", "Trigun", "Desert Punk") no "character design".  

**********


Formato: TV
Data de estreia: 07/04
Estúdio: GEMBA / Millepensee
Diretor: Shin Itagaki ("Ben-To", "Devil May Cry", "Teekyuu")
Gênero: Ação / Aventura / Drama / Fantasia / Terror
De onde saiu: Continuação do anime de 216, vindo de um mangá com atuais 38 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Segunda temporada de "Berserk", anime baseado em um famoso mangá seinen ao estilo "dark fantasy" que é publicado irregularmente desde 1989 por Kentarou MiuraEu me isentarei de entrar em detalhes porque nunca vi ou li nada dessa obra e poderia acabar falando algo errado (mesmo porque não consegui achar pela internet comentários muito esclarecedores sobre isso), contudo esta nova adaptação - o mangá já recebeu uma série de TV em 1997 e uma trilogia de filmes entre 2012 e 2013 - foi bastante criticada em sua primeira temporada não só pela questionável animação em CGI de baixo orçamento, como também pela maneira em que adaptou o material de origem, modificando e cortando muita coisa. Vi um número razoável de pessoas dizendo que os últimos episódios foram sensivelmente melhores, mas de igual modo não me aprofundarei nesse ponto.

A equipe de produção segue a mesma, com Shin Itagaki na direção, Makoto Fukami ("Yuri Yuri SanHai!") na supervisão de roteiros, Shiro Sagisu ("Ushio to Tora", "Black Bullet", novos filmes de "Neon Genesis Evangelion") na trilha sonora e Hisashi Abe ("Chobits", Gunslinger Girl", "Wolverine") no "character design". Vale lembrar que no Brasil o mangá de "Berserk" foi primeiro lançado pela Panini a partir de 2005 no formato meio tanko (hoje com 75 volumes), e depois em 2014 começou a ser republicado no formato original, estando atualmente no 15º volume.

**********


Formato: TV
Data de estreia: 03/04
Estúdio: Oriental Light and Magic
Diretor: Katsuhito Akiyama ("Bastard!!", "Inazuma Eleven", "Pumpkin Scissors")
Gênero: Ação / Aventura / Sci-fi
Tema: Esporte
De onde saiu: Franquia "Beyblade", continuação do anime de 2016.
Site oficial: Clique aqui

Nona série de TV de "Beyblade", franquia iniciada através de um mangá em 1999 que serviu de divulgação ao brinquedo de mesmo nome, semelhante a um pião, cujas vendas começaram em 2000 - o primeiro anime, "Bakuten Shoot Beyblade", veio logo depois em 2001 e teve ao todo 3 temporadas, e em 2009 estreou "Metal Fight Beyblade", uma nova saga representando a segunda geração de brinquedos criada pela empresa Takara Tomy que rendeu outras 4 temporadas até 2012. Houveram ainda dois filmes em 2002 e 2008 e duas séries de TV spin-off coproduzidas entre Japão e Canadá, porém só exibidas no ocidente, intituladas "BeyWheelz" e "BeyWarriors: BeyRaiderz". "Beyblade Burst God", por sua vez, será continuação direta de "Beyblade Burst", anime que se encerrará agora em março com 48 episódios e que serviu, junto com projetos em outras mídias, para promover a terceira geração das Beyblade, que agora se desmontam ao sofrerem um golpe mais forte e vem acompanhadas com um dispositivo que mede a velocidade dos lançamentos e registra as vitórias e derrotas do jogador, sendo possível repassar tais dados para este site que reúne rankings de jogadores de todo o mundo - clique aqui para ver o vídeo de um homem (que precisa urgentemente cuidar de suas unhas) explicando em detalhes as novidades dessa geração, e aqui para assistir outros dois realizando alguns confrontos. 

Por ora só foi confirmada permanência de Katsuhito Akiyama na direção, porém o provável é que não hajam mudanças na equipe principal por conta da estreia de uma temporada ser tão próxima do encerramento da outra.



**********

Formato: TV
Data de estreia: 01/04
Estúdio: Bones
Diretor: Kenji Nagasaki ("Classroom Crisis", "Gundam Fight  Builders", "No.6")
Gênero: Ação / Aventura / Comédia
Tema: Escolar / Sobrenatural
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, vindo de um mangá com atuais 12 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui, aquiaquiaqui e aqui

Segunda temporada de "Boku no Hero Academia", anime baseado num mangá shounen publicado desde 2014 na Weekly Shounen Jump ("Assassination Classroom", "One Piece", "Gintama") cujo protagonista é Izuku Midoriya, um jovem que desperta tardiamente poderes especiais e que estuda numa prestigiada academia dedicada ao treinamento de novos heróis.

Produzido pelo estúdio Bones, a equipe seguirá a mesma, com Kenji Nagasaki na direção, Yousuke Kuroda ("Gundam Build Fighters", "High School of the Dead", "Jormungand") na supervisão de roteiros, Yuuki Hayashi ("Blood Lad", "Death Parade") na trilha sonora e Yoshihiko Umakoshi ("Saint Seiya Omega", "Mushishi", "Casshern Sin", "Berserk") no "character design".

Por fim, o anime estreia dia 1º de abril, mas uma semana antes, no dia 25 de março, será exibido um episódio especial que recapitulará os eventos da primeira temporada com a adição de algumas cenas novas.


**********


Formato: TV
Data de estreia: 05/04
Estúdio: Studio Pierrot
Diretor: Noriyuki Abe ("Bleach", "Divine Gate", "Flame of Recca", "Kuroshitsuji: Book of Circus")
Gênero: Ação / Aventura / Comédia
Tema: Super poderes
De onde saiu: Mangá, 2 volumes, em andamento - continuação do anime de 2007.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Continuação de "Naruto Shippuuden", anime sobre o famoso ninja de roupa laranja Naruto Uzumaki que terminará agora dia 23 de março com incríveis 500 episódios - mais do dobro de seu antecessor, "Naruto", que teve 220, enquanto que o mangá do qual os dois se basearam foi finalizado em 2014 com 72 volumes (todos já lançados no Brasil pela Panini, porém em 2015 deram início a publicação de uma edição de luxo intitulada "Naruto Gold"). Aqui o protagonista será o filho dele, Boruto Uzumaki, que tomará o lugar do pai como protagonista após este ter enfim conseguido se tornar no maior ninja de todos.

Por tratar-se de uma sequência, eu mal me dei ao trabalho de ler os poucos 10 capítulos disponíveis de seu mangá, cuja publicação teve início em maio do ano passado na Weekly Shounen Jump, mesma casa de "Naruto" - e vale ressaltar que o mangaká da obra principal Masashi Kishimoto atua somente como supervisor neleenquanto que Mikio Ikemoto (um ex assistente seu) está cuidado da arte e Ukyou Kodachi da história. Além disso, "Boruto: Naruto Next Generation" apresentará uma trama original desde o começo,
porém não sei dizer se em algum momento ela adaptará ou terá ligação seja com o filme "Boruto: Naruto the Movie" (lançado em 2015 com roteiro criado pelo próprio Masashi), seja com o mangá que, tendo em vista o material disponível hoje, mal daria mesmo para preencher sequer uma série de 12 episódios.

A ser produzido pelo Studio Pierrot ("ēlDLIVE", "Sousei no Onmyouji"), o anime virá com o veterano Noriyuki Abe como diretor chefe, Hiroyuki Yamashita de diretor assistente, Makoto Uezu ("Akame ga KILL!", "Kuzu no Honkai", "Seto no Hanayome") na supervisão de roteiros, -yaiba- ("Tiger Mask W") com Yasuharu Takanashi ("All Out!!", "Fairy Tail", "Gantz", "Jigoku Shoujo") na trilha sonora e Hirofumi Suzuki com Tetsuya Nishio ("Naruto", "Jin-Rou") no "character design".

**********


Formato: TV (1 min. por episódio)
Data de estreia: 11/03 (já estreou)
Estúdio: Kachidoki Studio
Diretor: Takeshi Onaka ("Nar Doma")
Gênero: Comédia
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui

A ser exibido no meio de um programa de variedades do canal regional Kansai TV, "Buppu no Mainichi" focará no atribulado dia a dia de um gato que começa a morar com 10 cachorros na mesma casa - pobre bichano! Tal cenário foi inspirado na vida real de Tetsuya Kakihara ("Fairy Tail", "Tengen Toppa Gurren Lagann", "Yowamushi Pedal"), cantor e dublador que possui vários animais de estimação e chegou de fato a adotar um gato quando já haviam tantos cachorros reunidos sob o mesmo teto (aliás, o felino se adaptou com poucos sobressaltos).

Produzido pelo Kachidoki Studio ("Neko no Dayan"), que só cuida de animações curtas, "Buppu no Mainichi" virá com Takeshi Onaka na direção. 


**********

Formato: TV
Data de estreia: 05/04
Estúdio: Silver Link
Diretor: Hideki Tachibana ("BlazBlue Alter Memory", "Dragon Crisis!", "H2O ~ Footprints in the Sand~")
Gênero: Ação / Comédia
Tema: Ecchi / Escolar
De onde saiu: Mangá, 5 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Um rapaz defendendo sua masculinidade de um bando de garotas boas de briga.

Adaptação de um mangá shounen publicado desde 2014 na revista Monthly Shounen Ace ("Tokyo ESP", "Deadman Wonderland"), a trama de "Busou Shoujo Machiavellianism" se passa na Private Aichi Symbiosis Academy, uma escola só para garotas que, quando começou a aceitar a entrada de homens, suas alunas temerosas pela mudança pediram autorização para carregar pequenas armas brancas como meio de proteção - algo que foi prontamente aceito, e com isso também foi formado o "Supreme Five Swords", um grupo de vigilância cujas cinco integrantes possuem permissão especial para portar espadas de verdade.

Tal sistema acabou dando tão certo que, eventualmente, a escola passou a incentivar a vinda de alunos problemáticos de outras instituições, com o intuito de que nesse local eles pudessem ser repreendidos e devidamente corrigidos por tal grupo - e é neste ponto que chegamos a Fudou Nomura, estudante que foi expulso de sua escola anterior após fazer parte de uma grande briga. Logo em seu primeiro dia de aula o jovem é cercado por uma das integrantes do Supreme Five Swords e recebe duas opções: Ou ele saísse da Aichi Symbiosis Academy imediatamente, ou então aceitasse ser corrigido igual aos demais rapazes da instituição, que são obrigados a se vestir e agir como garotas.

Pois é, isso mesmo que leram.

E não imaginem que estamos falando das perfeitas traps em 2D das quais temos toda temporada (amém!), mas sim garotos que não ficam lá muito bem de maquiagem, sabe. Qual foi a resposta de Nomura para essa proposta que, de uma maneira ou de outra, iria ferir sua dignidade? 

Logicamente, ele não aceita nenhuma das opções, e como consequência o vemos entrar em confronto ainda no primeiro capítulo do mangá com Rin Onigawara, uma das integrantes do Supreme Five Swords - garota essa conhecida por ser tão impiedosa que sua sala é de longe a que tem menos estudantes, visto que ela geralmente consegue fazer os garotos desistirem de permanecer numa escola que, convenhamos, poderia ter encontrado outra método mais pacífico de resolver possíveis conflitos num local que começou a aceitar alunos do sexo masculino.

Ah, sim, essa luta e as futuras se resumem a longos diálogos e wall of text (tipo os meus só que mais chatos) descrevendo calculados movimentos e golpes baseados em artes marciais diversas - claro que com toques infinitos de exagero e romantismo, porque caso contrário o protagonista Nomura, que dizem ter ferido mais de 40 pessoas em sua antiga escola, não seria capaz de ter este golpe como arma secreta para derrotar Onigawara.

E que desfecho mais imprevisível, no fim os dois se beijam sem querer por conta da intromissão de uma terceira pessoa, para desespero daquela que diz odiar homens, porém agora ficará toda embaraçada em 80% das cenas que tiver ao lado desse encrenqueiro que ela não cansa de chamar de idiota, rude, mal educado, playboy, superficial...

Okay, eu não gostei nem um pouco de "Busou Shoujo Machiavellianism", tanto que agradeci quando terminei de ler os poucos 10 capítulos traduzidos na ocasião. Além da premissa estúpida, também não achei graça alguma tanto nas lutas, quanto no desenrolar caótico dos argumentos que vão sendo apresentados - posso dizer que meu problema mesmo foi com o cenário "battle school" em um todo, que quando vejo numa obra já obtenho um forte preconceito contra ela, sendo muito difícil supera-lo. Como a comédia fraca, os personagens e suas ações não ajudaram nisso, a ideia não colou pra mim, contudo deve agradar quem quiser apenas ver garotas excêntricas e boas de briga empunhando espadas numa história com teor ecchi ocasional, e devo ao menos admitir que ter um protagonista masculino badass e folgado no meio é muito melhor do que um líder bobalhão e ingênuo (mesmo porque se ele não fosse assim já teria "se tornado" uma garota faz tempo nessa escola!)

Somente apresentando um pouco dos próximos eventos que seguirão a luta de Nomura com a guria da máscara (ah, ela tem um motivo sério para usa-la, qualquer hora abordarão algum trauma do passado sobre isso), o argumento inicial será a de que o protagonista, para obter permissão de sair da escola e não ficar trancafiado o dia todo, precisará preencher um cartão com os carimbos de cada um dos membros do Supreme Five SwordsOnigawara lhe revela isso e até já concede seu carimbo depois de cair na sua lábia (ou mal interpretar sua frase, pra ser exato), e como de praxe a cena entre os dois termina com novo mal entendido. Será assim tão fácil com as outras quatro? Não, e é aqui que surge a deixa para que Nomura seja obrigado a duelar com cada uma delas, isso após enfrentar duas garotas de péssimo trabalho em equipe que são algo como favoritas das principais, com direito a pantyshot no final. Kirakujou Mary será a segunda da lista, uma francesinha que usa um florete como arma e que protagonizará outra luta cheia de tagarelice - apesar de acabar perdendo de um modo um tanto idiota, ela ainda assim apela com seu decote para conceder o carimbo a Nomura, porém Onigawara (que decide seguir o rapaz aonde ele for) interrompe essa libertinagem.

A baixinha e irritante Warabi Hanasaka é a próxima, contudo ela cria um desafio onde Nomura terá que primeiro passar por suas subalternas em um terreno diferente, neste caso uma luta de sumô - quer ver Kirakujou e Nomura (as duas decidem ajuda-lo já que não concordam com as ações da Warabi) vestindo envergonhadas o mawashi com o auxílio do protagonista? Clique aqui. E, se isso já não era esperado, imagine descobrir que Nomura, na verdade, terá de enfrentar Kyoubou, o animal de estimação dela que é um urso enorme! E mais surpreendente ainda é ver que ele combate o grandalhão de igual pra igual...

Pronto, parei com os spoils. A tradução do mangá se encontra na véspera da luta com a quarta integrante, Satori Tamaba, e durante os eventos que citei há aparições de Kirukiru Amou, personagem que aparenta ser a mais, ou uma das mais fortes da escola - porém não faz parte do Supreme Five Swords - e que tem ligações com o passado de Nomura. Pelos motivos já ditos acima eu nem chegarei perto do anime pois o tema, elenco, humor e ação não foram do meu gosto em momento algum, mas espero que o texto, assim como tento nos demais de animes onde li parte da obra original, tenha ajudado a tomar a mesma decisão ou confirmado sua vontade em assisti-lo.

A ser produzido pelo estúdio Silver Link ("Masamune-kun no Revenge", "Brave Witches"), "Busou Shoujo Machiavellianism" virá com Hideki Tachibana na direção, Kento Shimoyama ("Taimadou Gakuen 35 Shiken Shoutai", "Binbougami ga!") na supervisão de roteiros, Hiromi Mizutani ("Jigoku Shoujo", "Non Non Biyori") na trilha sonora e Shoko Takimoto ("Chaos Dragon") no "character design".


**********

Formato: TV
Data de estreia: 04/04
Estúdio: Gathering
Diretor: Mankyuu ("30-sai no Hoken Taiiku", "Donyatsu", "Puchimas!: Petit iDOLM@STER", "Tono to Issho")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Mangá 5 volumes, em andamento - spin-off do anime de 2015.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Spin-off de "The iDOLM@STER Cinderella Girls", anime de 2015 que obteve duas temporadas pelo estúdio A-1 Pictures e que é baseado numa franquia multi-mídia iniciada em 2005 em um jogo arcade onde, como objetivo principal, você tinha de cuidar da carreira de garotas aspirantes a idols. Para ser mais preciso, o primeiro jogo recebeu uma horrível adaptação "livre" em 2007 chamada "iDOLM@STER Xenoglossia" (idols usando mechas para proteger a Terra da queda de meteoros, uau) e outra mais fiel em 2011 intitulada simplesmente "The iDOLM@STER", na qual foi narrada a rotina de doze garotas enquanto enfrentavam obstáculos típicos desse ramo, tais como falta de confiança, rivalidade, questões familiares que atrapalham a carreira e poucas oportunidades de trabalho por estarem ligadas a uma agência pequena, dentre outros. Nisso, em 2011 chegamos ao "Cinderella Girls", jogo para dispositivos móveis que foi o primeiro da série voltado a redes sociais e que no momento possui mais de 200 garotas à disposição - ele mescla um sistema de batalha de cartas com a mesma premissa de acompanhar e treinar meninas aspirantes a idols. A sua versão animada trouxe 14 delas como protagonistas, e este spin-off somente retratará estas e outras coadjuvantes em versão chibi num slice-of-life de pura comédia.

Na prática, não há necessidade em ver antes nada da franquia para poder assistir o novo anime, pois no máximo a pessoa não entenderá algumas piadinhas internas em relação ao comportamento das personagens que aqui ganhará uma exagerada.

Por fim, "Cinderella Girls Gekijou" já recebeu um curta em novembro passado para comemorar o aniversário de 5 anos do jogo, bem como possui um mangá em tirinhas 4-koma publicado regularmente no aplicativo dele, que rendeu por ora 5 volumes físicos. Vale citar também que o diretor desta animação, Mankyuu, carrega grande experiência em séries de curta duração e inclusive comandou as duas temporadas em 2013 e 2014 de "Puchimas!: Petit iDOLM@STER", anime que teve o mesmo argumento de apresentar as idols da primeira geração em versão chibi - ele é igualmente baseado noutro mangá, este publicado desde 2008.

Ufa! Não se tem muito o que falar de tal estreia exceto esclarecer sua origem (não há traduções do mangá), e sobre a equipe de produção no estúdio Gathering apenas o nome de Mankyuu foi citado - ele normalmente ocupa os cargos de diretor e roteirista ao mesmo tempo, e caso divulguem algo mais destacarei aqui. 


**********


Formato: TV
Data de estreia: 02/04
Gênero: Ação / Aventura / Comédia
Tema: Jogo de cartas
De onde saiu:  Continuação do anime de 2016, vindo de uma série de mangás que, juntando todos os seus títulos, possui atuais 84 volumes.
Trailer: Clique aqui

Décima quarta temporada de "Duel Masters", anime iniciado em 2002 que faz parte de outra franquia da empresa Takara Tomy, dessa vez envolvendo jogos de cartas - esses chegaram ao mercado meses antes da primeira animação estrear, e na verdade tudo isso começou em 1999 com um mangá que teve 17 volumes publicados até 2005 e 84 atualmente se contarmos todas as obras que o sucederam, com o detalhe de que "Duel Masters" era para ser inicialmente um título alternativo baseado em "Magic: The Gathering", popular jogo de cartas (e o mais velho que existe) criado em 1993 pela empresa americana Wizard of the Coast; entretanto, com o tempo os dois títulos se separaram e assim nasceu uma nova franquia cuja jogabilidade é parecida ao do irmão americano. Havendo ainda 3 jogos para Game Boy Advance e 1 para Playstation 2, "Duel Masters" obteve grande sucesso apenas no Japão sob a tutela da Takara Tomy, visto que até hoje somente uma temporada foi exportada para o ocidente e seu jogo de cartas, devido ao baixo número de vendas, também durou pouco tempo fora de terras nipônicas nas mãos da própria Wizard of the Coast, que preferiu anos depois relançar "Duel Masters" nos Estados Unidos com o nome "Kajiudo: Rise of the Duel Masters", marca que gerou novas cartas, jogo online e duas séries de TV muito semelhantes ao seu primo japonês - mas tudo isso também já chegou ao fim em 2014, quando a Wizard of the Coast decidiu interromper a produção de cartas e o suporte ao jogo online...

Pois bem, voltando ao trabalho original ("original" em comparação com "Kajiudo", mas não com "Magic: The Gathering", né...), já informaram oficialmente a sinopse do anime, mas como trata-se de continuação irei ignora-la e dizer apenas que seu novo protagonista será Joe Kirifuda, filho de Katta Kirifuda, personagem que desde 2011 havia substituído seu irmão mais novo (Shobu Kirifuda) no papel principal da franquia - oras, se temos um filho que segue os passos do pai ninja, porque outro não pode continuar a carreira como duelista em jogos de cartas, hein? Fora isso, uma nova versão em mangá baseado nesta temporada teve sua publicação iniciada em fevereiro, e por ora nada foi confirmado em relação a equipe de produção do anime, algo que se divulgarem a respeito atualizarei o texto e grade de informações acima.

**********

Formato: TV
Data de estreia: 09/04
Estúdio: A-1 Pictures
Diretor: Ryohei Takeshita
Gênero: Comédia / Drama / Romance
Tema: Ecchi
De onde saiu: Light novel, 8 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Minha irmãzinha não pode ser assim tão bonita - e eu não acredito que meu amor por ela vai além do fraternal.

Com apenas 12 anos Masamune Izumi tornou-se escritor de light novels - e agora aos 15 ele permanece nessa carreira apesar de não ser um dos autores mais populares do momento. Devido a certos motivos o rapaz mora sozinho com a meia-irmã Sagiri Izumi, uma garota de 12 anos que desde sua chegada um ano atrás não tem saído de seu quarto e muito menos ido pra escola, o forçando a cuidar de tudo para ela mesmo que não se falem ou se vejam diretamente. Masamune deseja e se esforça para reverter esta situação e assim se tornar mais íntimo dela, porém mal imaginava que esta chance apareceria ao descobrir que "Eromanga", ilustrador de suas light novels conhecido por seus desenhos sensuais, é justamente a própria Sagiri, dando assim início a uma nova e conturbada fase na relação dos dois.

Publicado desde 2013, "Eromanga-sensei" é de autoria de Tsukasa Fushimi, criador de "Ore no Imouto ga Konnani Kawaii Wake ga Nai", light novel encerrada em 2013 com 12 volumes onde os protagonistas também eram irmãos - tal obra recebeu duas séries de TV pelo estúdio A-1 Pictures entre 2010 e 2013, além de 3 episódios especiais pela internet que fecharam a adaptação completa da light novel com um final muito, mas muuuito criticado pela maioria dos fãs. Obviamente eu não darei spoils aqui - apesar de ser bastante fácil esbarrar neles sem querer caso pesquise pelo anime -, porém, se "Ore no Imouto" era mais comedido na intenção de levar adiante ou não uma possível relação incestuosa entre a orgulhosa Kirino e o tonto do Kyousuke (tradução: as outras garotas recebiam a mesma atenção em torno do protagonista, deixando em aberto sua "escolha" até os volumes finais), em "Eromanga-sensei", usando como base os três volumes da adaptação em mangá (de quatro que foram lançados desde 2014) e 1 da light novel que eu li, parece não haver rota diferente para o casal de irmãos. Ou seja, neste trabalho o autor Tsukasa não está dando a mínima para sutilezas na relação fraternal ou brechas significativas às demais integrantes femininas do elenco, só faltando mesmo que os protagonistas sejam mais sinceros e diretos um com o outro para acabar com tanta enrolação...

Após descobrir a identidade de seu colega de trabalho ao ver uma transmissão ao vivo pela internet de sua irmã desenhando, Masamune passa a ficar cada vez mais íntimo dessa garota que desde os 9 anos de idade faz ilustrações pervertidas para as suas light novels - os primeiros contatos são um tanto desastrosos e curtos, mas com o tempo isso vai melhorando. O rapaz também lhe revela que é o autor de tais trabalhos (sim, ela não sabia), e a relação dos dois será influenciada por personagens como Yamada Elf, uma bem sucedida autora desse tipo de mídia que possui ares de grandeza e alucinações - parecidos aos da Gokou Ruri de "Ore no Imouto" - e se portará como rival de Masamune; Megumi Jinno, colega de classe de Sagiri que é extremamente popular, "um pouco" precoce (qual outra palavra não ofensiva poderia usar para alguém que diz alegremente "Eu gosto de pê..." na primeira conversa com o irmão de sua colega?) e que tentará fazer com que a garota volte a frequentar a escola; Tomoe Takasago, funcionária de uma loja responsável pela área de light novels que dará ocasionalmente alguns conselhos e apoio ao protagonista; e Muramasa Senju, outra famosa escritora de light novels - muito mais que Yamada - que de início parece desprezar Masamune, mas certas ações e falas suas demonstrarão que não é bem assim - o seu comportamento altivo e aparência a fazem ser praticamente uma cópia de Gokou Ruri, só que na versão cabelos curtos. 

Pronto, o líder masculino tem ao seu redor uma espécie de harém formado só por garotas mais jovens do que ele (cuidado, hein!) onde a colega de sua irmã poderá às vezes atiça-lo um pouco com brincadeiras, a escritora loirinha (que adora se inspirar para escrever tocando piano nua, só mero detalhe) deixará muito claro sua paixonite ao ficar toda embaraçada com certas falas dele e mal entendidos, e a Gokou Ruri versão 2.0 também expressará sentimentos parecidos ainda que com rompantes de tsunderismo e orgulho, mas...

"Tentei o meu melhor para desviar o olhar do seio de minha irmãzinha."

"Como irmão, eu deveria ser capaz de encarar calmamente minha irmãzinha nua!"

"Como seu eu pudesse cair de amores por uma garota qualquer à primeira vista, quando lavo diariamente as lindas peças íntimas da minha irmã."

"Parece crescida e inexpressiva, porém é tão delicada que tem medo de ser tocada e sua expressão fica muito charmosa quando se fala com ela... É como se eu tivesse nascido para vê-la sorrir!"

E a lista segue.

Desde as primeiras interações de Masamune com Sagiri ele declara que deseja ser visto como alguém de sua família, mostrando o quão se preocupa de verdade com ela; entretanto, frases como essas por vezes tão fora de lugar e estúpidas mostram que seu amor caminha sem retorno para um nível que vai além do fraternal. Nisso, nem pensem que trata-se de algo unilateral, pois Sagiri já abusou do moe para demonstrar em inúmeras ocasiões o seu ciúme em vê-lo ao lado das demais garotas, tendo já chegado ao ponto de haver uma "meia declaração" dela cujo resultado pode ser resumido com estas páginas, onde ele acha que ela gosta de outra pessoa e fica na defensiva quanto aos seus sentimentos, e esta imagina que o irmão não pensa de igual forma justamente por conta dessa conduta. Eu confesso que em alguns capítulos achei até bacana e engraçadinhos os diálogos dessa dupla, mesmo se a conversa partia para um fanservice bobo e sugestivo (em específico as discussões sobre o dom de Sagiri em criar ilustrações bastante eróticas, cujas garotas curiosamente possuem seios pequenos porque ela diz ser capaz de desenhar somente apenas aquilo que já viu na sua frente, se é que me entendem...), mas no geral me foi enfadonho e incômodo ver um tema desse tipo ser tratado de maneira tão descompromissada e ingênua, pra não dizer idiota na verdade. Sei que muitos verão o anime exatamente por conta disso, tudo bem, mas no meu caso já tem muito tempo que não consigo ter paciência para obras que abordam incesto/pseudo incesto do jeito que "Eromanga-sensei" faz.

Sabe, irmãos podem ter uma ótima relação sem precisar cair literalmente de amores um pelo outro, e na hipótese disso ocorrer que desenvolvam tal problema com um pingo de maturidade...

Okay, parei com os resmungos.

Finalizando o texto citando os primeiros eventos da história, posso dizer que fora a relação de Sagiri e Masamune veremos os obstáculos passados pelo garoto em sua carreira de escritor, havendo neste ponto uma descrição superficial sobre a indústria de light novels e, algo que me causou alguns sorrisos, ocasionais comentários sarcásticos e irônicos (e outros apaixonados e parciais) a respeito da qualidade dessa mídia, na qual clichês, arquétipos exagerados e fetiches se amontoam em obras de escrita questionável para atrair o máximo de leitores possível. Interessada em ter Eromanga como ilustrador de seu próximo trabalho para criar a "light novel suprema que ninguém jamais viu" (e com as melhores cenas de nudez!), a pomposa Yamada desafiará Masamune para ver quem consegue escrever um conto que mais chame a atenção dela, e no fim isso resultará no desejo do protagonista em criar uma light novel cuja protagonista será... Uma irmãzinha inspirada na Sagiri, onde ele colocará seu coração para escrever uma obra prima. Posteriormente o plano evoluirá para tornar isso num anime com o auxílio da irmã na construção da personagem e ideias, entretanto rejeições da editora, falta de inspiração e o surgimento de Muramasa que deliberadamente tem atrapalhado suas publicações servirão como empecilhos para este sonho, que poderá avançar mais rapidamente se ele ganhar um concurso literário que terá a Gokou Ruri de cabelos curtos como uma das participantes. No meio disso, de quando em quando flagraremos Sagiri se comportando antes como um velho tarado do que uma garota moe de meros 12 anos, visto que por "motivos profissionais" ela cometerá atos indecentes como pedir para ver (ou tirar!) a calcinha seja de Yamada, seja da colega de classe maliciosa que no final não parece ter tanta experiência no assunto quanto nos faz pressupor - aliás, o teor ecchi não é tão alto e frequente assim quanto sugere a profissão dos protagonistas e meus comentários, e após tantas páginas da versão em mangá clique aqui para ver uma relação de ilustrações da light novel.

A ser produzido pelo estúdio A-1 Pictures, "Eromanga-sensei" virá com Ryohei Takeshita estreando na direção - dois meses atrás ele colocou em xeque a produção da série ao convocar animadores pelo Twitter, o que seria uma medida desesperada para cobrir a falta de profissionais -Tatsuya Takahashi ("Netoge no Yome wa Onna no ko ja Nai to Omotta?", "Koukaku no Pandora") na supervisão de roteiros, Tomoki Kikuya ("Hidamari Sketch", "Nisekoi") na trilha sonora e Hiroyuki Oda ("Eureka Seven AO", "Ore no Imouto") no "character design".

**********

Formato: TV
Data de estreia: 04/04
Estúdio: Studio A-Cat / ZEXCS
Diretor: Keiichiro Kawaguchi ("Hayate the Combat Butler", "Jinsei" "Million Doll", "Nurse Witch Komugi R", "Sket Dance")
Gênero: Ação / Comédia
Tema: Mecha
De onde saiu: Série de model kits.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui (Leg. em inglês)

Certo dia a jovem Ao recebe uma encomenda por engano em sua casa, e ao abri-la (poderia ter devolvido ao entregador já que não era sua, né!) ela se depara com Gourai, uma pequena robô protótipo da série Frame Arms Girls que possui inteligência artificial avançada e é capaz de se movimentar sozinha. Junto de uma garota humana que não tem conhecimento algum sobre tais robôs e é a única dona de tal modelo, Gourai descobrirá aos poucos o mundo e as pessoas ao seu redor conforme aprimora suas habilidades de combate, bem como verá chegar na casa de Ao mais duas Frame Arms Girls (okay, agora é o entregador que precisa levar uma bronca por fazer tantas entregas erradas...).

Popular fabricante de figures e model kits - este segundo seriam aqueles bonecos/robôs/naves/etc que você tem de montar por conta própria, por exemplo -, a empresa Kotobukiya criou primeiro há alguns anos a série "Frame Arms", que trouxe robôs desenhados por Takayuki Yanase ("Mobile Suit Gundam 00", "Valvrave the Liberator", "Zegapain"), os quais pode ver os modelos lançados clicando aqui (a filtragem que fiz ainda deixou passar alguns produtos da outra coleção no resultado, mas tudo bem). Nisso, em 2015 começaram uma nova linha intitulada "Frame Arms Girls", que como é de se suspeitar pegou esse robôs e os antropomorfizou em garotas desenhadas por Humikane Shimada ("Girls und Panzer", Strike Witches") - e agora clique aqui para visualizar as poucas que já foram lançadas e as várias que ainda chegarão nas lojas durante este ano. Admito que antes mesmo de saber sobre o anime eu já estava de olho não na model kit, mas sim numa versão chibi da robô que será protagonista, não tendo a comprado até agora por no final sempre acabar dando preferência a figures de personagens que conheço e tenho alguma afeição, e...

História? Ah, em um dos textos oficiais é dito que Ao descobrirá que poderá ganhar prêmios caso participe de batalhas entre Frame Arms Girls, então esperemos uma trama que envolverá comédia, slice-of-life e ação em torno de robôs moe com 15 centímetros de altura. Além da Gourai, teremos ainda as versões animadas de Stylet, Baselard (estas duas também irão morar com a humana), Materia White, Materia Black, Jinrai, Architect Hresvelgr.

A ser produzido pelos estúdios ZEXCS ("Fune wo Amu", "Aku no Hana") e Studio A-Cat - colaborador de animação 3DCG em títulos como "Aikatsu!" e "Initial D: Second Stage", algo que ele também deverá cuidar aqui de acordo com o visto no trailer -, "Frame Arms Girls" virá com Keiichiro Kawaguchi na direção (nome muito lembrado quando se trata de animes com maior apelo otaku), Hitomi Mieno ("Etotama", "Noragami", "Urara Meirochou") na supervisão de roteiros, Kakeru Ishihama ("Concrete Revolutio") e Keigo Hoashi ("Tasogare OtomexAmnesia") na trilha sonora e Kousuke Kawamura ("OniAi") na adaptação do "character design". 

**********


Formato: TV
Data de estreia: 01/04
Estúdio: Oriental Light and Magic / OLM
Diretor: Shigetaka Ikeda
Gênero: Ação
Tema: Jogo de cartas
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, vindo de um jogo de cartas.
Trailer: Clique aqui

Quarta temporada de "Future Card Buddyfight", anime originado de um jogo de cartas criado pela empresa Bushiroad que no Japão é voltado a crianças de 9 a 11 anos, porém na América é destinado a um público mais velho ao apresentar um sistema de batalhas de maior complexidade. Ainda não foi confirmado se toda a equipe de produção será a mesma, mas, como a segunda temporada só acabará agora em março, exatamente uma semana antes da estreia dessa continuação, possivelmente não haverá mudanças quanto a isso.

E apenas para não perder a chance de posta-lo pela quarta vez mesmo que não tenha utilidade alguma, clique aqui para ver um vídeo promocional de 2013 da franquia, com direito a um garoto enfrentando um homenzarrão no ringue e, esse, fazendo uma "atuação" muito convincente ao ser derrotado...

**********

Formato: TV 
Data de estreia: 02/04
Estúdio: A-1 Pictures
Diretor: Ayako Kurata
Gênero: Aventura / Fantasia
De onde saiu: Jogo para dispositivos móveis.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui (Leg. em inglês)

Famoso jogo de RPG lançado para dispositivos iOS e Android em 2014 (há também uma versão em PC que pode ser baixada aqui, sendo que em qualquer uma tornou-se possível desde o ano passado alterar o idioma para o inglês), e protagonista de alguns escândalos relacionados ao seu abusivo e fraudulento sistema "freemium""Granblue Fantasy" ganha sua versão animada através do A-1 Pictures, estúdio hoje que é um dos que mais se envolve na adaptação desse tipo de mídia. Criado pela empresa Cygames, o jogo possui como destaque na sua equipe de produção a dupla Nobuo Uematsu e Hideo Minaba, respectivamente compositor e diretor de arte de vários jogos da franquia "Final Fantasy" - clique aqui para ver um gameplay inicial de quase vinte minutos a seu respeito, e aqui para assistir o trailer de "Granblue Fantasy Project Re: Link", título de RPG e ação que está previsto para ser lançado em 2018 no Playstation 4.

História? Olha, usarei como base pra isso tanto a premissa do jogo no momento em que você inicia sua jornada, quanto o que foi mostrado nos dois episódios exibidos previamente em 21 de janeiro - o anime estava antes previsto para estrear na atual temporada de inverno, mas depois o adiaram e decidiram somente transmitir este "especial". O cenário aqui é um mundo "esquecido pelos deuses" onde existem ilhas flutuantes de todo tipo acima das nuvens: muito tempo atrás, seres conhecidos pelo nome de Astrals tentaram controlar estas terras com seu imenso poder, entretanto os habitantes dos céus, denominados Skydwellers, resistiram aos seus ataques e o mundo entrou numa longa era de paz (que acaba assim que você dá "Play" no jogo, é lógico). Já no tempo atual conhecemos Gran, protagonista cujo pai viajou há anos em busca de Estalucia (suposta ilha dos antigos Astrals que fica no limite dos céus) e que deixou como única lembrança ao filho apenas uma carta onde diz aguardar por ele - o rapaz sempre teve vontade de sair numa jornada para reencontra-lo, e isso se torna possível com o surgimento de Lyria, uma garota que cai dos céus numa floresta próxima a vila onde Gran mora, na pequena ilha flutuante de Zinkenstill.

Ela era uma prisioneira do Império Erste, nação militarista recém formada que planeja conquistar o mundo. Possuidora de um grande poder do qual estão pesquisando para expandir seu domínio, Lyria escapa da nave deles com o auxílio de Katalina Alize, uma bela guerreira que decidiu se rebelar contra o império para liberta-la. Poucos depois de conhecerem Gran, que resolve ajuda-las, ocorre um confronto com o inimigo onde Lyria usa seu poder e invoca uma grande criatura, e por certos motivos (em resumo ele morre e a garota cede metade da sua vida para revivê-lo, porém agora não poderão se distanciar muito um do outro senão o coitado acabará morrendo de novo) Gran se vê obrigado a deixar sua vila e acompanhar Lyria e Katalina numa fuga com rumo incerto das garras do império, algo que o jovem aceita sem muita hesitação tanto para retribuir o que ela lhe fez, quanto para enfim sair em viagem e tentar encontrar o paradeiro de seu pai na distante ilha dos Astrals - que, por coincidência, é dito por Katalina ser o local onde poderão talvez achar um meio de reverter a condição dos dois sobre não poderem se separar, porque Lyria possui misteriosas ligações com os Astrals já que ela é capaz de ativar antigos cristais para controlar as "Primal Beasts", criaturas extremamente poderosas criadas por eles que até recentemente se encontravam adormecidas.

Ah, a formação inicial da "party" contará ainda com Vyrn (inconfundível e irritantemente dublado por Kugimiya Rie), um lagarto - que insiste corrigir os outros dizendo não ser um - que é companheiro de Gran desde a sua infância e geralmente serve como alívio cômico em várias cenas. De resto, na página que linkei do site oficial é possível ver os outros personagens que se juntarão ao grupo um a um, e com eles teremos uma típica história medieval de fantasia onde uma garota dotada de poderes absurdos, que mal possui memórias de onde veio, é perseguida por uma nação opressora, enquanto nosso honrado herói tenta derrotar o inimigo com o apoio de seus novos amigos e, quem sabe, obter respostas sobre o ocorrido com seu pai.

Os dois episódios já exibidos são simplesmente introdutórios: A última cena deles é quando o trio - ah, quarteto, já ia esquecendo o lagarto chatinho - se despede da vila de uma forma um tanto caótica e dá início a sua jornada, e por ora não foi dito se quando a série de TV estrear dia 2 de abril eles serão exibidos de novo ou não - atualizarei o texto se for preciso para informa-los. Olha, tirando a animação que ficou agradável, eu mesmo não consegui me empolgar um só momento pelo andamento tão esquematizado da história seja nos eventos ou nos diálogos, e já digo que ficarei apenas nesses episódios mesmo; quem sabe ele seja suficiente para se entreter pela questão da aventura (a boa trilha sonora e o nível técnico poderão incrementar isso), mas, sendo franco, ao menos a produção de fanart e doujins desse jogo, que já é grande, se intensificá por conta do anime - foi através dessas mídias nada puras que conheci certa loli alquimista, uma das personagens mais usadas nesse sentido (mas não há por ora qualquer previsão de que ela apareça na série)...

Tendo ainda versões em mangá e light novel lançadas nos últimos dois anos, "Granblue Fantasy The Animation" virá com Ayako Kurata debutando no cargo de direção, Yuuki Itou como diretor assistente ("Mahou Shoujo Lyrical Nanoha Vivid") e Toshifumi Akai ("Kokoro Connect", "Magi", "Sora no Woto") no "character design". Não foi mencionado nenhum nome responsável pelos roteiros, mas se houver alguma notícia quanto a isso divulgarei por aqui.

E fugindo do anime para falar de algumas trivialidades, neste mês o jogo deu início a um evento com vários sorteios para comemorar seu aniversário de 3 anos, e nele  o maior prêmio é uma quantia no valor de 10 milhões de ienes (R$ 273 mil) que pode ser substituída por presentes equivalentes a esse valortais como uma barra de ouro com uma chikuwa em volta (por quê, né?), 101 dias e 100 noites numa hospedaria tradicional no balneário da cidade de Atami, um pijama cravado de diamantes, uma viagem de cruzeiro, 12 milhões de cristais dentro do jogo - que lhe permite comprar de tudo nele -, uma barra de ouro virtual também dentro do jogo (item raríssimo, mas...), um carro decorado com personagens da franquia, estátuas em tamanho real de Gran, Lyria, Vyrn e uma garota chamada Djeeta que seria a versão feminina do protagonista ao escolher o sexo do personagem, e por fim uma réplica da forte espada "Luminiera Sword Omega". Além disso, outros pouco mais de 50 mil sortudos ganharão prêmios diversos, desde quantias menores de dinheiro a viagens ao Havaí ou Ilhas Maldivas e jantares em restaurantes de alta classe.

E como se isso já não bastasse para gastar tanto dinheiro, semana passada um dos maiores jornais do Japão, o Asahi Shimbun, exibiu uma propaganda de quatro páginas duplas do jogo que teria custado absurdos 300 milhões de ienes (R$ 8 milhões e 250 mil) a Cygames. Caso a qualidade técnica do anime caia drasticamente em algum momento já saberão o motivo!

**********

Formato: TV
Data de estreia: 07/04
Estúdio: Passione
Diretor: Takeo Takahashi ("Aki Sora", "Dakara Boku wa H ga Dekinai", "Love Love?", "Maoyuu Maou Yuusha", "Spice and Wolf")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Mangá, 2 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Adaptação de um mangá seinen em tirinhas 4-koma publicado desde 2014 na revista Comic Cune, "Hinako Note" traz como protagonista Hinako Sakuragi, uma garota extremamente tímida que possui dificuldades em falar com os outros e que no início a vemos trabalhando como... Um espantalho nos campos de sua pequena cidade no interior do Japão! Ela adquiriu tal tarefa por atrair para si com facilidade qualquer animal, deixando assim as plantações livres de seus ataques.

Porém, a jovem decide se transferir para uma escola em Tóquio pois deseja entrar num clube de teatro afim de melhorar suas habilidades de comunicação, e dessa forma acaba indo morar num alojamento que, na verdade, é também um sebo onde terá como companhia e colega de classe Kuina Natsukawa, uma garota distraída que possui o estranho hábito de comer as páginas de seus livros favoritos. Com o passar dos dias Hinako fará novas amizades enquanto dá seus primeiros passos na nova escola.

Porque slice-of-life de garotinhas normais não tem mais graça, elas têm que vir com ocupações, características ou costumes peculiares, né... Desse mangá só existe até o momento 1 capítulo traduzido, cujas meras 9 páginas podem ser vistas clicando aqui - elas só mostram, usando traços fofos, a lerdinha Hinako trabalhando como espantalho e ganhando a atenção (e muitos vegetais em troca) dos moradores locais, além de deixar evidente sua extrema dificuldade em conversar, a ponto das palavras saírem erradas de sua boca mesmo devido ao nervosismo. É bem pouco para eu expressar qualquer opinião, porém confesso que perdi um pouco o interesse pelo anime ao saber que esta ideia era só a introdução, visto que na verdade teremos outro caso de jovens garotas num clube qualquer...

Junto a espantalho moe improvisada que atrai animais e a nova versão da "Bungaku Shoujo"o site oficial ainda lista no elenco Mayuki Hiragi, uma loira baixinha que trabalha num café e frequentemente é vista usando roupas de empregada; Chiaki Ogino, senhoria do alojamento onde Hinako mora que já foi membro do clube de teatro da escola Fujimiya High School e que perde o comportamento quieto quando se vê num palco; e Yua Nakajima e Ruriko Kuroyanagi, duas personagens que por ora não tiveram nenhuma descrição apresentada.

A ser produzido pelo fraco estúdio Passione ("Rokka no Yuusha", "Haitai Nanafa"), é bem provável que "Hinako Note" virá com episódios curtos, tanto por conta de quem o animará, quanto por haver poucos 2 volumes publicados do mangá. Takeo Takahashi (profissional que já comandou anime de tudo que é gênero, mas boa parte deles com ecchi considerável) surge como diretor chefe, ao lado de Toru Kitahata ("Boku wa Tomodachi ga Sukunai NEX") de diretor assistente, Tatsuhiko Urahata ("GATE", "A-Channel", "Saki") na supervisão de roteiros, Yukari Hashimoto ("Golden Time", "Toradora!", "Osomatsu-san") na trilha sonora e Kazuyuki Ueda ("Kin-iro Mosaic") no "character design".


**********

Formato: TV
Data de estreia: 09/04
Estúdio: Sanzigen
Diretor: Goro Taniguchi ("Active Raid", "Code Geass: Hangyaku no Lelouch", "Infinite Ryvius", "Junketsu no Maria", "Planetes")
Gênero: Sci-fi
Tema: Mecha
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Nova animação original toda feita em CG do estúdio Sanzigen ("Bubuki Buranki"), "ID-0" traz uma história que se passa num mundo onde "I-Machines" é o termo geral usado para robôs que operam em ambientes extremos. Aqui a estudante da Alliance Academy, Maya Mikuri, sofre um acidente enquanto usava seu I-Machine em serviço, sendo logo resgatada por uma nave da Escavate, empresa de escavação que serve como fachada para um grupo de piratas espaciais. Forçada a fazer parte da tripulação, conforme trabalha com eles Maya conhecerá melhor cada integrante da nave, bem como aprenderá o que realmente significa ser um "humano".

Com direção de Gorou Taniguchi, criador do famoso "Code Geass Hangyaku no Leouch" e recentemente um dos idealizadores de "Active Raid", dois animes de mecha com propostas bem diferentes entre si, "ID-0" ainda traz certas mensagens em suas peças promocionais, como por exemplo "Todas as memórias existem com I-Machines" e "Seria esperança, ou desespero, que se esconde por trás das memórias perdidas?", dando a entender que, trailer todo cheio de firulas e música alegre à parte (fora o outro esquisitinho com as garotas cantando enka), talvez ele não vá ter uma história tão descontraída e leve como seria de se esperar com tais personagens - mas só talvez, porém ter este nome no seu comando, mais as declarações soltas e vagas feitas pela equipe de produção nas redes sociais e eventos (como antecipar que haverá uma reviravolta bem inesperada conforme o cenário progride), tem feito algumas pessoas montarem uma ou outra teoria e discutirem qual será o real conteúdo que o anime mostrará se baseando no pouco material divulgado.

No fim pode tudo não passar de jogo de marketing e a animação sequer entregar um mínimo do que estava sendo supostamente aguardado, mas é isso.

Além da esperta e um pouco tímida protagonista Maya Mikuri, outros integrantes do elenco que já foram divulgados são mais duas humanas, chamadas de Clair Hojo - filha do presidente da empresa Escavate - e "Garota Misteriosa" (pois é, uma aparente criança com adereços de neko); e seis personagens em sua formas I-Machine, que seriam Ido, Rick Ayer, Karla Milla-Foden, Grayman, FA-Loser e Amanza Volchkova - todos fazem parte da mesma nave, e suas descrições no site oficial são tão curtas que só vale a pena mencionar que Grayman é o pai de Clair.

Junto a Goro Taniguchi na direção, o anime terá ainda Yousuke Kuroda ("Boku no Hero Academia", "Gundam Build Fighters") na supervisão de roteirosTakayuki Hattori ("Code:Breaker") na trilha sonora, Hiromi Kato ("Kobato.", "Needless") no "character design" e o trio Fumihiro Katagai ("Hitsugi no Chaika Avenging Battle"), Takayuki Yanase ("Valvrave the LIberator", "Zegapain") e Takeshi Takakura ("Bubuki Buranki", "Infinite Stratos", "Planetes") nos desenhos mecânicos.


**********

Formato: TV
Data de estreia: 04/04
Estúdio: Dongwoo Animation / Tatsunoko Productions
Diretor: Makoto Moriwaki ("Tantei Opera Milky Holmes")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
Tema: Escolar / Música
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, originado de um jogo arcade.
Site oficial: Clique aqui

Quarta temporada de "PriPara", anime iniciado em 2014 que mostra competições entre idols e que é baseado em um jogo arcade criado pela fabricante de brinquedos Takara Tomy - empresa que também foi autora de "Pretty Rhythm", franquia que de 2010 a 2014 gerou quatro séries de TV e é antecessora de "PriPara".

A equipe, em tese, deverá ser a mesma com Makoto Moriwaki na direção, Michiro Tsuchiya ("Major") na supervisão de roteiros e Shoji Hara no "character design", uma vez que a atual temporada acabará agora em março - por ora só o primeiro nome foi oficialmente confirmado, logo se houver mudanças significativas avisarei por aqui. Além da série de TV, um filme -  o quarto já da franquia - intitulado "Gekijouban PriPara: Mi~nna de Kagayake! Kirarin☆Star Live" estreou nos cinemas japoneses no último dia 4 (clique aqui para ver seu trailer).

**********

Formato: TV
Data de estreia: 07/04
Estúdio: Studio Deen
Diretor: Kazuhiro Yoneda ("Akatsuki no Yona")
Gênero: Slice-of-Life
Tema: Escolar
De onde saiu: Novel, 5 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Adaptação de uma novel cujo sexto volume será lançado esta semana, "Kabukibu!" traz como protagonista Kurogo Kurusu, um jovem de 15 anos que ao entrar no ensino médio decide participar de um clube de kabuki, arte da qual adora tanto que chega a ser irritante quando fala a seu respeito - porém, como não existe no momento nenhum clube voltado para isso, ele precisará recrutar e alcançar certa quantidade mínima de membros para poder criar um.

Eis outro anime baseado em novel sem material traduzido - na verdade nunca há mesmo para esse tipo de mídia. Como curiosidade, a autora da obra original, Yuuri Eda, possui em seu currículo vários títulos "BL" (relações amorosas entre homens, valendo citar que mesmo os demais mangás ou novels dela que não se encaixam nesta classificação retratam personagens masculinos com relações levemente sugestivas e íntimas - é claro que isso sozinho não quer dizer nada, pois pego como exemplo "Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu", anime da temporada atual que é baseado num mangá de outra autora de várias obras BL, Haruko Kumota, contudo quem assiste a série sabe que ela não se enverada por esse caminho. Se for pra especular alguma coisa acho mais válido reparar nos eventos, propagandas e tipos de produtos em pré-venda que têm sido feitos antes da animação estrear, onde o alvo é puramente o público feminino. Até onde o anime irá com o fanservice para elas, aí só aguardando por sua estreia para saber.

Originado em 1603, kabuki é uma espécie de arte cênica que envolve canto e dança com o uso pesado de maquiagem. Esse estilo foi criado por uma sacerdotisa e de início somente mulheres realizavam as encenações, entretanto o governo japonês as proibiu de pratica-las em 1629 por considerar algo erótico demais e também por estar ligado a prostituição em muitos casos, dentre outros motivos, e a partir disso os homens passaram a interpretar tantos os papéis masculinos, quanto os femininos - após a 2ª Guerra Mundial, onde o então decaído kabuki precisou se reformular em certos pontos para atrair o público novamente, surgiram alguns grupos com mulheres integrantes, sendo que existe até hoje uma trupe formada só por elas, todavia nunca conseguiram atingir a mesma popularidade do kabuki feito por homens. Clique aqui caso queira ver no Youtube uma encenação de 1 hora e 18 minutos (curta considerando que um século atrás as peças podiam facilmente passar de quatro ou cinco horas de duração), e aqui para assistir um pequeno documentário sobre Ichikawa Enosuke III, um dos atores mais famosos de kabuki das últimas décadas.

É uma arte... Estranha apesar de artisticamente interessante, vai, e isso até mesmo para muitos japoneses conforme pude achar várias matérias a respeito. Não é por menos que o amigável, alegre e aparentemente chatinho protagonista desse anime não tenha achado um clube para isso em sua nova escola, ainda que ele vá conseguir garimpar aqui e ali alguns adeptos das artes cênicas e outras áreas. Por falta de algo melhor, fiquemos com as breves descrições dos personagens no site oficial para apresentar o elenco, composto por Tonbo Murase, um jovem de poucas palavras que é o melhor amigo de Kurogo e sabe mexer em todo tipo de equipamento digital para produzir filmes; Shin Akutsu, um narcisista que parece odiar kabuki e atualmente faz parte de uma banda na qual é cantor e também compositor; Jin Ebihara, estudante de personalidade estoica que é filho de uma famosa família de teatro chamada Shiroganeya, e que por conta disso tem frequentado os palcos desde criança; e Hanamichi Niwa, este aluno do segundo ano cuja mãe instrutora de dança tradicional japonesa o transformou num dançarino, contudo há muito tempo ele largou essa prática para poder tornar-se lutador (e agora vai começar tudo de novo). Ainda há outros personagens já revelados, inclusive mulheres, mas como esses não têm no site oficial imagens ou textos disponíveis, os deixarei passar.

A ser produzido pelo Studio Deen e já tendo desde fevereiro uma versão em mangá sendo publicada, "Kabukibu!" virá com Kazuhiro Yoneda na direção, Yoshiko Nakamura ("Gekkan Shoujo Nozaki-kun", "Shounen Maid", "Super Lovers") na supervisão de roteiros, Masaru Yokoyama ("Mayoiga", "Occultic;Nine", "Kuzu no Honkai", "The Rolling Girls") na trilha sonora e Majiro ("Barakamon", "Macross Delta") adaptando o "character design" originalmente criado pelo quarteto CLAMP ("Cardcaptor Sakura", "XXXHOLiC", "Magic Knight Rayearth").  


**********

Formato: TV
Data de estreia: 12/04
Estúdio: A-Real / Project No.9
Diretor: Noriaki Saito
Gênero: Ação / Romance
Tema: Escolar
De onde saiu: Jogo para Playstation Vita.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaquiaqui e aqui

Primeiro, o início da franquia: "Kenka Banchou" é uma série de jogos iniciada em 2005 nos consoles PSP e Playstation 2 na qual o objetivo do jogador é, simplesmente, tornar-se um respeitável líder de delinquentes juvenis ou "bancho", e para isso você anda por um mundo aberto enfrentando adversários, aprendendo novas técnicas de luta e impressionando as garotas. Já foram produzidos 9 títulos até o momento (clique aqui para assistir o gameplay de um deles lançado em 2008 e aqui para ver outro de 2015), e quase todos foram protagonizados por homens, sendo a única exceção "Kenka Bancho Otome", jogo para Playstation Vita que chegou nas lojas japonesas em maio do ano passado trazendo a primeira protagonista feminina da franquia - clique aqui para ver uma alemã o apresentando, e em certa parte (aos 18:30) ela inclusive mostra como funciona o sistema de combate nele.

Aqui, a heroína tomboy e boa de briga Hinako Nakayama só se lembra de ter passado toda a sua vida em orfanatos e nunca ter conhecido qualquer parente, algo que muda ao ser abordada por Houou Onigashima, rapaz que alega ser seu irmão gêmeo e informa que os dois fazem parte da mais honrada família de mafiosos do submundo do crime, a Onigashima. Como tradição, aquele destinado a comandar a família é obrigado a estudar na Shishiku Academy, escola particular e só para garotos do ensino médio que abriga os mais perigosos delinquentes juvenis - além disso, é preciso tomar conta do local, tornando-se um líder entre eles. Houou não tem interesse em seguir com essa ideia, mas tampouco pode desafiar a ordem do pai; logo, Hinako é convencida pelo irmão a tomar o seu lugar, se passando por um rapaz e tendo como objetivo dominar a escola.

E obviamente ela fará isso enquanto fica mais íntima de outros garotos - que mal sabem sua identidade real.

Possuindo ainda uma versão em mangá cuja publicação teve início em 2015, antes do lançamento do jogo - e que já chegou ao fim agora em janeiro com 2 volumes, antes sequer do anime estrear -, não há muito mais que eu possa falar sobre este projeto a não ser, como de praxe, as breves descrições oficiais dos integrantes do harém reverso que presenciaremos ao redor da protagonista, que será formado por Totomaru Minowa, jovem que logo de cara é derrotado por Hinako e faz amizade com ela, mostrando-se uma pessoa bastante sociável que adora ajudar todo mundo (apesar de ser um delinquente) e que parece ser "um pouco" desatento ao não notar que tem uma garota ao seu lado mesmo gastando tanto tempo juntos;
Takayuki Konparu, estudante mais forte do primeiro ano que se simpatiza com Hinako, o que nesse caso é irônico uma vez que ele desdenha as mulheres e as enxerga como seres inferiores e fracos; Rintarou Kira, do qual dizer ser o aluno mais forte da escola por dois anos seguidos, porém na verdade muito do que falam de sua pessoa é exagero e o rapaz faz o tipo calado que prefere ficar sozinho; e Yuta Mirako, um bonitão que é meio como um "idol" na visão dos outros e do qual falam ser tão poderoso quanto Rintarou.

Pronto, estereótipos definidos, e que comece uma historinha de romance cheia de brigas numa escola (pra ser franco, duvido muito na qualidade do primeiro por conta da origem do anime, e mais ainda na presença e importância do segundo devido ao mesmo motivo...)

A ser produzido pelos fraaacos estúdios A-Real ("Urawa no Usagi-chan") e Project No.9 ("Momokyun Sword", "Saikin, Imouto..."), "Kenka Banchou Otome: Gir Beats Boys" virá com o estreante Noriaki Saito na direção, Natsuko Takahashi ("Brothers Conflict", "Divine Gate", Norn9") na supervisão de roteiros e Majiro ("Barakamon", "Macross Delta") no "character design".


**********

Formato: TV
Data de estreia: 08/04
Estúdio: Brain's Base
Diretor: Hiroshi Ishiodori ("Gunslinger Girl: II Teatrino", "Peach Girl", "Watashi ga Motete Dousunda")
Gênero: Comédia / Romance
Tema: Escolar / Sobrenatural
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, vindo de um mangá com atuais 35 volumes.
Site oficial: Clique aqui

Terceira temporada de "Kyoukai no Rinne", anime baseado em uma obra de Rumiko Takahashi que tem como protagonistas Sakura Mamiya, uma garota capaz de enxergar espíritos à sua volta, e Rokudou Rinne, um shinigami extremamente pobre. A equipe de produção ainda terá Michiko Yokote ("Genshiken", "Shirobako", "xxxHolic", "Priscon School") na supervisão de roteiros, Akimitsu Honma na trilha sonora e Kazuhiko Tamura ("Watashi ga Motete Dousunda") no "character design", porém o diretor das duas temporadas anteriores, Seiki Sugawara ("D-Frag!"), cederá espaço a Hiroshi Ishiodori.


**********

Formato: TV (10 min. por episódio)
Data de estreia: 05/04
Estúdio: Encourage Films
Diretor: Yuta Yamazaki
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
Tema: Escolar
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Parabéns mais uma vez, Japão.

Nono maior consumidor desse alimento no mundo e 11º maior produtor (a propósito, o Brasil aparece respectivamente em 10º no ranking de consumo e 9º lugar no de produção), bem sabemos o quão relevante é o arroz na culinária e cultura nipônica em um todo, logo não é assim tããão espantoso ver que alguém decidiu enfim lançar um projeto onde testemunharemos tipos de arroz serem antropomorfizados em belos rapazes estudantes - e não reclamem do gênero escolhido, porque de objetos/alimentos/veículos e etc transformados em garotas já tivemos aos montes...

O cenário dessa ideia será a escola St. Pan High School, onde cinco estudantes novatos baseados em tipos de arroz tentarão derrubar os garotos pães (soou expressão de velho, mas de todo modo vejam os "malvadões" aos 40 segundos do trailer acima) como os grãos mais populares do local. Esse quinteto formará o grupo "Love Rice" e fará uma apresentação no evento "Harvest Show" (Show da Colheita...) com o intuito de mostrar o delicioso apelo (!) dos grãos de arroz.

Uau.

O site oficial lista apenas os personagens com seus respetivos nomes e alguns adjetivos básicos, contudo ignorei que eram 3 da manhã de uma terça enquanto escrevia este texto e fui pesquisando pela internet pra ver se os nomes e/ou sobrenomes deles batiam com tipos de arroz reais, e... Sim, batem mesmo, tendo sido fácil encontrar todos depois de perceber o padrão usado. Neste caso, temos o super animado Hikari Hino (hinohikari, produzido em Kyushu); o orgulhoso e de poucas palavras Nishiki Sasa (sasanishiki, de Miyagi, ótimo para sushi!); o frívolo e metido a engraçadinho Bore Hitome (hitomebore, também de Miyagi); o teimoso e afeminado Komachi Akita (Akitakomachi, da prefeitura de Akita); e o encantador e ingênuo Maru Niko (o caro nikomaru, de Nagasaki). Ah, chega de tanto arroz.

Já possuindo uma versão em mangá publicada desde fevereiro, "Love Kome: We Love Rice" terá episódios de curta duração produzidos pelo estúdio Encourage Films ("Etotama") e virá com o estreante Yuta Yamazaki como diretor chefe, Takashi Horiuchi de diretor assistente, Yuuki Takabayashi na supervisão de roteiros e criação do conceito original, Plus Tsubasa na trilha sonora e Tomoyo Sawada no "character design".

**********

Formato: TV
Data de estreia: 05/04
Estúdio: Tatsunoko Production
Diretor: Takahiko Kyogoku ("Gate: Jieitai Kanochi nite, Kaku Tatakaeri", "Love Live! School Idol Project")
Gênero: Comédia
De onde saiu: Mangá, 1 volume, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Love Live! Love Live!

Perdão, ou eu fazia isso ou todo mundo passaria batido por esse texto.

"Makerunai!! Aku no Gundan!" (em tradução livre "Não perca!! Corporação do mal!") é um mangá em tirinhas 4-koma criado por Sora Tokui, dubladora que muitos devem conhecer por seu papel como a idol Niko Yazawa na franquia "Love Live! School Idol Project" - atualmente ela dubla uma personagem secundária em outro anime de tema musical, o fraquinho "BanG Dream!". Publicado desde 2013 na revista Monthly Bushiroad (contudo só agora no dia 17 de março é que lançaram o primeiro volume físico), sua história é centrada numa "corporação do mal" liderada pelo grandalhão Don, que planeja conquistar o universo. Ele e seus dois lacaios tinham a intenção de invadir a Terra, porém sua nave espacial desapareceu, e agora precisarão da ajuda de um garoto terráqueo para ter onde morar enquanto arranjam empregos de meio período e continuam com seus planos de conquista.

Não há nada traduzido de seu mangá como seria de ser esperar, e em relação a equipe de produção surgem outros dois nomes curiosos, que são o de Takahiko Kyogoku na direção, profissional que comandou animes como "GATE" e o próprio "Love Live"; 
Yoshiaki Fujisawa na trilha sonora, compositor que, além dos dois títulos que acabei de citar, também esteve presente em "Uchouten Kazoku" e "Dimension W". Já no elenco de dubladores teremos veteranos como Tessyo Genda ("Urusei Yatsura", "Dragon Ball") no papel de Don, 
Kappei Yamaguchi (L em "Death Note", Kudo Shin'ichi em "Detective Conan", Inuyasha em "InuYasha" e Usopp em "One Piece") dando vida ao subalterno Pebu - o de orelhas rosas na imagem acima - e Akira Ishida (Gaara em "Naruto", Kaworu Nagisa em "Neon Genesis Evangelion") dublando Chiku, o de orelhas pretas.

Isto que é saber aproveitar de seus contatos, não? O anime dificilmente deverá prestar alguma coisa, mas o nível dos nomes em volta dele superam o de muita estreia badalada...

Estúdio? Não informaram ainda, e como curiosidade extra Sora Tokui não é a primeira integrante da franquia "Love Live!" a se aventurar como mangaká: Masumi Asano (coadjuvante nos animes, mas tanto faz) é autora de "Sore ga Seiyuu!", doujin que recebeu uma série de TV pelo estúdio Gonzo em 2015 - e olha só, esta é a deixa para eu divulgar a resenha que fiz pro blog sobre esta animação... 

**********

Formato: TV (8 min. por episódio)
Data de estreia: 01/04
Estúdio: Studio Hibari
Diretor: Kazuya Ichikawa
Gênero: Ação / Comédia / Fantasia
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, vindo de um jogo para dispositivos móveis.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Monster Strike", anime com episódios de curta duração que é baseado em um jogo de RPG e ação para dispositivos móveis onde você luta com monstros para captura-los, fundi-los e evolui-los - porém, com a diferença de que aqui o jogador os controla como se parecessem bolinhas de gude ou de pinball, pois deve arremessa-los para atingir os adversários. Clique aqui para ver o vídeo de um tutorial em inglês do jogo e assim entender melhor sua mecânica, e aqui para dar uma olhada em um gameplay dele.

Não foi informado ainda nenhum membro da sua equipe de produção principal, todavia como o anime anterior acabou três meses atrás, em dezembro, não deve haver grandes mudanças nesse ponto - caso surjam novidades farei as devidas atualizações.

**********

Formato: TV
Data de estreia: 12/04
Estúdio: Shuka
Diretor: Takahiro Omori ("Baccano!", "Durarara!!", "Gakuen Alice", "Jigoku Shoujo", "Koi Kaze")
Gênero: Drama / Fantasia / Slice-of-Life
Tema: Sobrenatural
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, vindo de um mangá com atuais 21 volumes.
Site oficial: Clique aqui

Sexta temporada de "Natsume Yuunjichou", anime baseado num mangá shoujo publicado desde 2005 que conta a história de Takashi Natsume, um jovem capaz de enxergar espíritos. Apresentando um teor dramático bem dosado e delicado, os principais argumentos envolvem o desenvolvimento de caráter do rapaz, tão retraído e com um passado infeliz; e seus vários encontros com todo tipo de youkai, alguns deles amistosos, outros nem tanto - sendo que muitos desses eventos ocorrem por culpa de um livro que sua avó, Reiko, lhe deixou como herança, o qual contêm nomes de youkais que ela mesma derrotou e obrigou a se tornarem seus servos. Natsume, contudo, decide devolver esses nomes aos seus respectivos donos a fim de liberta-los dessa condição, para desespero do gato gordo poderoso espírito que o acompanha, Madara, já que ele afirma estar ao seu lado e protegê-lo apenas para aguardar por sua morte e assim tomar posse do livro (mas é óbvio que, com o tempo, Madara vai se apegando a esse humano do qual frequentemente insiste dizer não se importar).

Exibidas entre 2008 e 2012, as quatro primeiras temporadas foram produzidas no estúdio Brain's Base, porém a quinta em 2016 e esta agora foi/será feita pelo Shuka ("91 Days"), estúdio recém fundado por um ex produtor do Brain's Base que cuidava dos projetos do bom diretor Takahiro Omori - de tal modo que o projeto de estreia deles foram as três novas séries de "Durarara!!", franquia cuja primeira temporada, lá em 2010, foi comandada por essa mesma pessoa. Dito isso, em "Natsume Yuunjichou Roku" Takahiro reaparece no papel de diretor, havendo ainda Sadayuki Murai ("Sidonia no Kishi", "Boogiepop Phantom") na supervisão de roteiros, o ótimo Yoshimori Makoto ("Baccano!", "Durarara!!", "Kuragehime") na trilha sonora e Akira Takata ("Haibane Renmei") no "character design".

**********

Formato: TV (3 min. por episódio)
Data de estreia: 08/04
Estúdio: TMS Entertainment
Diretor: Akitaro Daichi ("Bokura ga Ita", "Fruits Basket", "Poyopoyo Kansatsu Nikki", "Tonkatsu DJ Agetarou")
Gênero: Ação / Comédia
Tema: Histórico
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, vindo de um mangá com atuais 10 volumes.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Nobunaga no Shinobi" anime baseado num mangá em tirinhas 4-koma publicado desde 2008 na Young Animal ("3-gatsu no Lion") - abusando de traços redondinhos mesclado a um humor bastante irônico e ágil, sua história é focada em Chidori, uma pequena ninja que vivencia diversos eventos históricos do Japão ao lado do onipresente Oda Nobunaga. A primeira animação acabará neste mês com 26 episódios, logo não há mudanças na equipe, que traz Akitaro Daichi na direção, Toshio Masuda ("Mushishi", "Ghost Hunt") na trilha sonora e Junko Yamanaka ("ReLIFE", "Hamtaro", "Detective Conan") no "character design". 

**********


Formato: TV
Data de estreia: 05/04
Estúdio: Bridge
Diretor: Katsuya Kikushi ("Idol Memories, "Sengoku Paradise Kiwami")
Gênero: Comédia
De onde saiu: Mangá, 7 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Adaptação de um mangá shounen publicado desde 2013 na revista Monthly G Fantasy ("Pandora Hearts", "Cuticle Detective Inaba")"Oushitsu Kyoushi Haine" será outro anime da temporada a trazer um professor como protagonista, neste caso o baixinho e cara de criança Heine Wittgenstein, que obtém o cargo de Tutor Real no palácio do reino de Grannzreich. Incumbido de dar aulas em vários quesitos a quatro dos cinco filhos do rei a fim de prepara-los para uma possível sucessão ao trono, ele encontrará certa resistência no início por parte desses nobres rapazes tão diferentes entre si, porém aos poucos conseguirá descobrir mais sobre cada um e ganhará deles a confiança e respeito necessários para poder educa-los.

O mangá possui no momento apenas 6 capítulos traduzidos, e eles são bastante introdutórios: O primeiro apresenta a premissa da história, do segundo ao quinto vemos o tal professor entrevistando os seus futuros alunos com o intuito de averiguar o conhecimento e personalidade deles, e o sexto mostrou um conflito final onde fica claro que, por ora, o protagonista de baixa estatura começou bem em seu novo emprego apesar de alguns contratempos. É pouco para emitir uma opinião sólida, porém de início até que gostei do humor usado e da interação entre os personagens.

Heine Wittegenstein conquistou o posto de Tutor Real porque ele é o melhor professor do reino, ainda que seu tamanho o faça mais parecer com um de seus alunos - tudo bem que isso é inconveniente nos momentos em que é confundido com uma criança, mas em outras óbvias situações o espertalhão não reclama nem um pouco disso. Apesar de ser hostilizado pelos príncipes logo na sua apresentação, pois não aceitam receberem ordens de alguém de classe inferior e inclusive já fizeram outros tutores desistirem do emprego devido a essa conduta, Hein rapidamente deixa evidente que... Não dará a mínima para isso, e em seguida começa as entrevistas com seus novos pupilos onde descobre que, pompas e sangue real de lado, todos eles não passam de jovens com suas falhas. Na ordem (cada link vai ter uma junção de imagens que resume a apresentação de cada um), primeiro conhecemos Leonhardt, quarto príncipe da família real que tem 15 anos e cuja fama de pessoa humilde e gentil não confere com seu orgulho excessivo e arrogância irritante, contudo isto esconde um ódio infantil por professores (equiparado ao seu desgosto por cenoura e pimenta verde!) simplesmente porque detesta estudar, e descobrirmos também que o garoto guarda um vergonhoso diário no qual escreve frases pessimistas sobre si mesmo. Já no capítulo seguinte temos Bruce, terceiro príncipe (16 anos) que é extremamente inteligente e autor de inúmeras teses, todavia carrega uma mania de limpeza doentia e, após perder pra Heine em tudo que é campo - de xadrez a música clássica, matemática e até pôquer! -, ele passa a chama-lo obsessivamente de "Mestre", algo com o qual o professor se mostra visivelmente incomodado. O terceiro na fila é Licht, belo príncipe caçula (14 anos) que é o mais sociável e tagarela do grupo e que, por trás do comportamento efeminado, fútil, descontraído e mulherengo, há em si outra faceta um tanto ambígua e ameaçadora que fez Heine ficar sensivelmente desconfiado de sua pessoa depois de terminada a entrevista. Por fim, o protagonista conversa em particular com Kai (17 anos), segundo príncipe que mais resmunga do que fala propriamente e cujo olhar assustador o faz parecer nada amigável, entretanto seu tutor percebe num instante que ali tem um jovem mal compreendido que é deveras gentil, carece de atenção e gosta de tudo que seja fofo - tipo cachorros ou professores baixinhos com cara de criança...

Terminadas as formalidades, o sexto capítulo começa com Leonhardt crente de que seus irmãos desmotivaram Heine a seguir adiante; porém, ao ver como todos estão alegremente do lado de seu maior inimigo (mesmo que por motivos questionáveis) o rapaz foge do local - que nem sempre fez pra escapar das aulas dos antigos tutores -, dando-nos assim a chance de testemunhar que o melhor professor do reino não mede esforços para ganhar a confiança de seus alunos - ainda que isso signifique montar um cavalo de maneira estranha devido à sua estatura para poder ir atrás dele. No fim tudo acaba relativamente bem - perdidos numa floresta, mas ilesos -, e é isso.

Realmente não é muito para "prever" o rumo do mangá, uma vez que não sabemos que tipos de conflitos aparecerão e tampouco vimos alguns personagens dos quais deram certa relevância, como o príncipe mais velho e o rei. Por outro lado, pelas imagens que linkei dá pra notar que trata-se de uma obra inicialmente muito bem humorada, que abusa de traços chibi - especialmente em cima do professor - e diálogos engraçadinhos; e isso, aliado ao fato de que não presenciei um fanservice excessivo em torno do esbelto elenco masculino como eu temia (só mais tarde fui saber qual era a demografia do mangá) me bastou para que eu me empolgue em ver o anime. Talvez os argumentos futuros da trama não sejam lá essas coisas ou o possível aumento do drama não bata com a comédia, mas de todo modo tentarei vê-lo.

(se bem que achei estranho ouvir no trailer uma voz tão madura pro personagem principal, mas aí já é frescura e mal costume com uma mídia onde normalmente você veria uma mulher dublando esse tipo de papel ao forçar uma voz mais grave)

A ser produzido pelo estúdio Bridge ("Seisen Cerberus: Ryuukoku no Fatalités", "Nobunagun"), "Oushitsu Kyoushi Haine" virá com Katsuya Kikuchi na direção, Kimiko Ueno ("Kuromajyo-san ga Tooru!!") na supervisão de roteiros, Keiji Inai ("Nejimaki Seirei Senki", "Heavy Object") na trilha sonora e Rena Okuyama ("Idol Memories") no "character design".



**********


Formato: TV (5 min. por episódio)
Data de estreia: 07/04
Estúdio: DLE
Gênero: Comédia
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, baseado em um personagem que estampa diversos  produtos.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Terceira temporada de "Panpaka Pants O-New!" animação de episódios curtos que tem como destaque as aventuras de um porquinho que usa roupas de baixo. Chamado Panpaka, esse personagem foi criado em 2008 e, dando uma olhada pela internet, dá para perceber que ele possui muitos produtos levando seu nome (inclusive cuecas estilosas, lógico) e uma considerável popularidade tanto em algumas regiões do Japão, quanto até na China - que tal ouvir em mandarim uma musiquinha sobre roupas de baixo protagonizada por um porquinho? 

O anime será novamente produzido pelo DLE, estúdio experiente com animações em flash e que inclusive já lançou um filme desse personagem em 2014.

**********

Formato: TV
Data de estreia: 15/04
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Mangá, 3 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Eis a segunda estreia (de três) do novo bloco de animes "Anime Saturday 630" dos canais MBS e TBS, que será exibido nas manhãs de sábado - as outras animações são a já citada bem no início do guia "100% Pascal-sensei" e, logo abaixo, "Tomica Hyper Rescue Drive Head". Publicado desde 2015 na revista shoujo Ciao ("Hamtaro", "Aikatsu!"), "Puripuri Chii-chan!!" conta a história de Yuuka, garota que acaba conhecendo tanto uma criatura vinda das profundezas da Terra chamada Chii-chan (trocadilho com "chiteijin", palavra japonesa usada para designar seres que moram no subterrâneo), quanto outra vinda do espaço de nome Ucchan (trocadilho com "uchuujin", extraterrestre). Os três - e quem sabe mais surgirão, de acordo com imagens promocionais - levarão um dia a dia caótico, porém agradável e alegre juntos, e é isso.

Trata-se outro mangá sem traduções disponíveis, então fico limitado a sinopse oficial. Contudo, vale salientar que sua autora, Hiromu Shinozuka, já teve transformados em séries de TV - e bem longas - dois mangás seus nos quais humanos interagem com seres fantásticos e fofinhos em tramas leves voltadas ao público jovem femininoprecisamente "Wagamama☆Fairy Mirumo de Pon!" (172 episódios entre 2002 e 2005) que trouxe fadas, e "Chibi☆Devi!" (75 episódios entre 2011 e 2014) que apresentou bebês demônios - este último possui uma resenha no Animecote feita pela Escritora Otaku, clique aqui para visualiza-la.

Esse anime ainda não teve nada divulgado em relação a sua equipe de produção, então é bem possível que eu volte a mexer no seu texto para atualiza-lo.


**********


Formato: TV
Data de estreia: 08/04
Estúdio: Troyca
Diretor: Ei Aoki ("Aldnoah.Zero", "Fate/Zero", "Ga-Rei-Zero", "Girls Bravo", "Hourou Musuko")
Gênero: Ação 
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Um número razoável de nomes famosos ao redor de um projeto original? Isso quase nunca acaba bem...

"Re: Creators" será a nova produção do Troyca, estúdio fundado em 2013 por Ei Aoki que terá aqui sua quarta série de TV - as outras três foram as duas temporadas de "Aldnoah.Zero" (as quais o próprio Aoki dirigiu) e "Sakurako-san no Ashimoto ni wa Shitai ga Umatteiru". Não foi dito com muitos detalhes qual será sua trama, tendo por ora somente o seguinte texto truncado que traz mais um conceito dela:

"Humanos criaram muitas histórias: Alegria, tristeza, raiva, emoções profundas. Elas mexem com nossas emoções, nos fascinam - porém, estes são apenas os pensamentos dos espectadores. E se os personagens tivessem "intenções"? Para eles, nós somos como deuses por trazer suas histórias ao mundo? Nosso mundo mudou. Inflija punição sobre o reino dos deuses. Em "Re:Creators", todo mundo se torna um Criador."

Personagens da ficção invadindo o mundo real e lutando entre si, ponto. Por qual motivo, como e etc, bem... Ou isso pode ainda ser explicado mais tarde com novos anúncios, ou só quando o anime estrear mesmo (o que certamente será o mais provável). Fiquemos no momento com as breves descrições dos personagens, originados de variadas fontes otaku: Celejia Yupitilia (que nome...), a heroína de um anime mecha de fantasia intitulado "Spirit Machine Song Vogel Chavelier"; Meteora Österreichsábia que trabalha numa biblioteca e guia o protagonista do jogo de RPG de mundo aberto "Recollection of Avalken"; Alisteria February, guerreira filha de nobres que serve o personagem principal de uma franquia de anime e mangá de fantasia épica chamada "Alisteria of the Scarlet"; Mamika Kirameki, protagonista do anime de mahou shoujo "Magical Slayer Mamika", que é voltado para garotas do fundamental; Yuuya Mirokuji, o último chefe do mangá "Lockout Ward underground-dark-night"; Rui Kanoya, líder masculino do anime de mecha "Infinite Divine Machine Mono Magia", onde ele pilota o robô Gigas Makina; Magane Chikujouin, personagem de objetivo desconhecido que aparece na light novel e anime de romance "Record of the Night Window Demon"; Blitz Tokar, ex detetive, agora caçador de recompensa, do anime e mangá "code.Babylon"; Gunpuku no Himegimi, uma garota rodeada de mistérios que veste um uniforme militar e usa um sabre com muita destreza. Há ainda certo humano envolvido nessa confusão toda chamado Souta Mizushino, que é um tímido estudante do segundo ano do ensino médio que adora animes e jogos.

Quanto ao que eu disse lá em cima sobre nomes famosos, além de Ei Aoki na direção veremos Rei Hiroe (autor do cultuado mangá "Black Lagoon") tanto na supervisão de roteiros (ao lado do diretor), quanto como sendo creditado pela história original, Hiroyuki Sawano na trilha sonora com suas composições que são boas, mas soam quase sempre iguais ("Shingeki no Kyojin", "Kill la KILL", "Guilty Crown") e Ryuichi Makino ("Hourou Musuko") adaptando o "character design" originalmente criado por Hiroe. Já entre os dubladores aparecem nomes populares como Maaya Sakamoto, Yoko Hikasa, Aki Toyosaki, Kenichi SuzumuraInori Minase e Sora Amamiya. Pessoalmente, se "Re:Creators" ao menos entregar um punhado de ação visualmente atraente já terá feito a lição de casa, desde que o roteiro não seja tão bagunçado e furado como um "Chaos Dragon" da vida e outros projetos originais do mesmo grupo que, todo ano, surgem na véspera de alguma temporada fazendo barulho devido aos profissionais reunidos, contudo acabam sendo logo esquecidos após a estreia devido a péssima qualidade do material entregue...

Ah, não vejam isso como "haterismo", eu mesmo acho interessante argumentos desse tipo ao menos como entretenimento puro onde não tento dar muita importância ao seu desenvolvimento, porém falo isso me baseando em experiências passadas nessa mídia.

**********

Formato: TV
Data de estreia: 07/04
Estúdio: EMT²
Diretor: Atsushi Nigorikawa ("Ani Tore! EX")
Gênero: Comédia / Romance
Tema: Escolar / Harém
De onde saiu: Mangá, 10 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

O "Kiss Note" é um livro poderoso que faz qualquer casal que tenha seu nome escrito nele acabe se beijando e eventualmente se apaixonando, independente das circunstâncias. O dono deste item é uma anjo chamada Guri, cujo trabalho como cupido é formar casais - porém, certo dia ela comete um equívoco ao escrever sem querer o nome do estudante Aino Seiji, e caso ele não escolha alguém para beijar em até 24 horas Guri acabará morrendo por conta desse descuido. Ela tenta convencê-lo a fazer isso com Akane Hiyama, popular garota de sua escola da qual o rapaz gosta, situação essa que seria perfeita se Akane também não fosse apaixonada por Seiji, mas de uma forma extremamente obsessiva e psicótica. Para piorar, após unir os dois forçosamente Guri acaba se interessando pelo rapaz durante a confusão, escrevendo seu próprio nome no caderno e assim formando um problemático triângulo amoroso que causará bastante dor de cabeça ao protagonista.

Adaptação de um mangá shounen publicado desde 2012 na revista Comic Meteor, "Renai Boukun" será sua comédia harém mais descerebrada da temporada - e mais engraçada também pelo menos pra mim, apesar de que, após um início meteórico (trocadilho nada a ver com o nome da revista!) na questão do humor, os últimos capítulos que li dos primeiros volumes já demonstraram uma sensível perda de fôlego nessa mesma área...

Quando a cupido Guri chega do nada e lhe fala sobre o tal "Kiss Note", caderno cujo estilo é "um pouquinho" inspirado em outro de vocês sabem onde, Seiji toma um susto achando que vai morrer se não beijar alguém em 24 horas, mas logo descobre que, oras, quem sofrerá esta pena será a tonta que cometeu tal erro - já ele apenas se tornará um virgem pro resto de sua vida, o que pra alguns deve soar pior do que a morte em si. Depois de beija-la imaginando que isso resolveria a situação, Guri explica que antes de tudo ela deve escrever um nome de sua preferência no caderno próximo ao dele, dando até um exemplo bem prático e traumático ao criar um casal formado pelo Primeiro-Ministro do Japão e... O presidente de certo lugar, que rapidamente se beijam ao vivo na televisão! Guri revela ser seu hobby criar casais homossexuais (ela inclusive escreveu o nome de Seiji enquanto tentava unir dois dubladores famosos) e a partir disso rumam em direção a Akane, garota admirada por todos da escola... E total yandere, que quase mata literalmente o rapaz ao vê-lo de intimidade com outra mulher.

Resumindo a desordem que ocorre em seguida, mesmo com Seiji ainda não tendo decidido fazer isso Guri termina escrevendo o nome de Akane no caderno para obrigar os dois a se beijarem, e como já disse logo acima ela mesma coloca seu nome ao lado dos dois, montando dessa forma não só um triângulo amoroso entre um jovem estudante normal, uma cupido fujoshi e uma yandere maluca (redundância), mas também com o detalhe de que todos eles estão imortais - a cupido graças a sua natureza, é claro, e os dois humanos por estarem agora ligados a esta como um casal no caderno (regras do Céu, vá entender). Quer mais bagunça? O chefe da Guri, de nome Kolari, surge na casa de Seiji - onde seus pais já sofreram lavagem cerebral para enxerga-la como membro natural da família - possuindo o corpo do seu gato de estimação, mas ainda com face humana (aliás, nas sinopses desse guia só temos gatos se dando mal, hein), e este pede que ajude sua subalterna a trabalhar direito na formação de casais, porque tudo bem um ou outro par homossexual, porém reunir somente homens por mero passatempo já é demais, né - havendo o agravante de que um cupido incapaz de cumprir suas metas será mandado direto para o inferno, e tanto Seiji quanto Akane teriam suas existências apagadas junto. Além disso, não tarda para testemunharmos o nascimento de um quadrado amorosoporque somos apresentados a Yuzugarota loira de delicada aparência que possui um amor descomunal por... Sua (meia) irmã Akane, e logicamente sem ninguém pedir Guri achou melhor escrever o nome dela no caderninho maldito e pronto, temos um harém na qual entre suas integrantes uma nem gosta de homens e detesta aquele com o qual está ligado, a outra adora o protagonista de maneira tão distorcida a ponto de esfaquea-lo à vontade por saber que ele não vai morrer, e a terceira parece só se interessar em pregar peças no coitado.

Soa - e é - bastante estúpido, mas "Renai Boukun" me divertiu rapidamente devido a sua quebra constante da quarta barreira e a boa química em torno de seu elenco desajustado. Ver os estouros de raiva da Akane com suas facas em punho e super força, Guri falando e fazendo bobagens, realizando referências nerds a outras mídias ou se perdendo em seu hobby de reunir homens, e Yuzu com sua paixão tão doentia pela própria irmã que chega a vigia-la diariamente, ter uma boneca dela em tamanho real e até mesmo vasculhar o lixo de sua casa, sem contar o líder masculino surtando com tudo isso, me foi algo realmente engraçado - por pouco mais de um volume e meio. Digo isso porque, em companhia das briguinhas internas desse pseudo harém, o mangá passou a incluir pequenas tramas com desenvolvimentos duvidosos que ficaram oscilando drasticamente de qualidade, tornando o mangá, que tanto me surpreendeu no começo, em uma comédia apenas "Boa" após alguns volumes - o elenco continuou sendo interessante com suas picuinhas, contudo os argumentos usados é que foram por vezes sem graça mesmo ou exageraram na seriedade para um cenário tão louco. Eu ainda consigo recomendar esta comédia sem problemas, mas eis aqui uma obra cujo humor parece atingir seu ápice cedo demais (claro que o mangá, com atuais 10 volumes, pode ter resolvido isso com o tempo, mas o anime pegará se muito 4 ou 5 para adaptar)

E só citando alguns eventos para mostrar o rumo - ou a falta dele - da história, a cupido inútil e os humanos que tiveram o azar de conhecê-la se intrometerão na relação entre uma aluna madura e seu ingênuo professor (segundo Guri ela já uniu tantos homens que juntar um docente e sua estudante não é algo tão ruim!), onde veremos a anjo e Yuzu formarem uma cômica e insistente dupla para fazê-lo confessar seus sentimentos e o "clímax" do caso envolverá assaltantes e Akane deixando claro que é capaz de agredir outras pessoas além do querido Seiji; também conheceremos Akua Aino, irmã do protagonista que se distanciou dele por certos motivos e que precisará ser atacada por um demônio pinguim(!) para poder reatar a relação com o irmão - ao menos em parte, já que ela não aprova sua "libertinagem" ao flagra-lo com tantas garotas em volta, e fica claro para nós que temos aqui um caso de "brocon" em evolução; e o que acontecerá, além de caretas bizarras, se o Dea... Digo, o Kiss Note for queimado? Parece que os casais formados por ele (incluso os homossexuais criados aleatoriamente) correm o risco de se separar, porém não se preocupem que Tiara, uma cupido amiga de Guri que possui um carregado visual típico de gyaru, ajudará nessa questão. Ah, e caso estejam se perguntando é óbvio que Seiji tornou-se assunto quente na escola ao - pra quem vê de fora - começar a namorar Akane, virando alvo da inveja da ala masculina, que tentará separar os dois com o auxílio de uma encrenqueira Guri disfarçada como personagem de uma franquia de jogos bastante popular. Desenvolvimento do enrosco amoroso? Bem, considerando as ocasionais declarações mais sérias (geralmente aos gritos...) e cenas de maior intimidade entre Seiji e as três garotas, essa parte do mangá promete ficar indefinida o quanto for possível...

Enfim, paro por aqui. Eu estou modificando o texto deste parágrafo dias depois de ter escrito todo o resto e, com 4 volumes lidos com maior calma e sem precisar fazer anotações e pegar imagens, minha opinião não mudou muito: É um mangá engraçadinho, okay, mas os últimos capítulos tiveram tantos eventos apelando no drama em demasia que terminei perdendo um pouco do interesse em continuar lendo. A parte romântica obteve leve avanço sobre uma das personagens, houve o surgimento de alguns argumentos sérios que não me convenceram (caso a adaptação seja fiel a conclusão de um deles deverá servir como desfecho do anime) e, de resto, se preparem para ver uma das versões animadas mais esculachadas de Deus...


Em uma frase, comecei lendo o mangá pensando "Olha, parece que esta será uma das estreias mais legais da temporada!" e terminei refletindo "Hum, ainda é bom, mas...".

A ser produzido pelo pequeno estúdio EMT² ("Nyanko Days", "Kuma Miko"), "Renai Boukun" virá com Atsushi Nigorikawa na direção, Natsuko Takahashi ("Divine Gate", "Lady Jewelpet", "Norn9") na supervisão de roteiros, monaca ("Working!!", "The iDOLM@STER", "Aikatsu!") na trilha sonora e Mariko Ito ("Log Horizon", "ViVid Strike") no "character design".

**********

Formato: TV (3 min. por episódio)
Data de estreia: 12/04
Estúdio: Typhoon Graphics
Diretor: Aose Shimoi
Gênero: Slice-of-Life
De onde saiu: Spin-off do anime de 2017, que é uma animação original.
Site oficial: Clique aqui

Para facilitar sua classificação, posso dizer que este é um spin-off de "One Room", anime ainda em exibição que, em episódios de 3 minutos cada, tem narrado em primeira pessoa a interação de três garotas com personagens masculinos cujos rostos, nomes e vozes desconhecemos - cada uma teve 4 episódios dedicados para si, sendo que a primeira foi uma jovem que se muda para Tóquio a fim de prestar vestibular e entrar numa faculdade, recebendo nisso a ajuda de seu novo vizinho; a segunda focou em uma garota que visita o irmão mais velho na mesma cidade; e a terceira, também se passando em Tóquio (perdão se eu errar a descrição, mas no momento em que escrevo este texto ela ainda não havia estreado), trouxe como destaque uma mulher de 21 anos que possui um emprego de meio período enquanto tenta retomar a carreira de cantora que se viu obrigada a abandonar. Nos meus comentários semanais sobre a temporada é possível notar o quanto esse anime foi um dos piores pra mim, devido aos eventos e diálogos tontos e afetação excessiva em cima dos trejeitos das personagens...

Mas agora é a vez deles! Trazendo a mesma divisão de episódios e duração, "Room Mate: One Room Side M" virá com três homens de variadas idades e personalidades que interagirão com mulheres em primeira pessoa, sendo eles (da esquerda pra direita na imagem acima) Takumi Ashihara, um jovem alpinista de 19 anos que ostenta um ótimo físico, não fala muito e dá a impressão de ser uma pessoa indiferente, contudo é na verdade alguém que presta discretamente bastante atenção naqueles que estão ao seu redor (o dublador será Tomoaki Ameno, que recentemente deu voz a Michele Crispino em "Yuri!!! on Ice"); Aoi Nishina, rapaz alegre e educado de 17 anos que faz parte de um grupo de teatro desde criança, mora longe dos pais que se encontram trabalhando no exterior e possui o hábito de ficar absorvido demais nos papéis que interpreta (dublado por Natsuki Hanae, que no momento tem dado vida ao protagonista de "Masamune-kun no Revenge"); e por fim Shinya Miyasaka, um empresário de 25 anos que trabalha numa famosa empresa - melhor candidato entre os três, pronto -contudo carrega uma personalidade arrogante e sádica que acha divertido brincar com os outros enquanto se comporta de maneira totalmente adversa dependendo da situação - okay, talvez este seja chato de se lidar. A ser dublado por Kousuke Toriumi (protagonista Shunsuke Imaizumi em "Yowamushi no Pedal"), ele ainda é adorado por Takumi e Aoi e visto pelos dois como um irmão mais velho - aqui este anime se difere um pouco da montagem de seu antecessor, pois as três garotas de "One Room" mal se conheciam.

Não achei nenhuma informação oficial esclarecendo a ordem dos arcos deles, porém não será surpresa se for nesta mesma na qual o trio tem sido apresentado em toda peça publicitária. A ser produzido pelo estúdio Typhoon Graphics, "Room Mate: One Room Side M" trará novamente Aose Shimoi na direção, mas agora com Chisato Nakata adaptando o "character design" originalmente criado por Hidari (anime "Fractale", light novel de "Sasami-san@Ganbaranai").

**********

Formato: TV
Data de estreia: 14/04
Estúdio: A-1 Pictures
Diretor: Kanta Kamei ("Dimensio W", "Oreshura", "Ryuugajou Nanana no Maizoukin", "Usagi Drop")
Gênero: Ação / Comédia / Romance
Tema: Escolar / Harém
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, vindo de uma light novel com atuais 12 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Segunda temporada de "Saenai Heroine no Sodatekata", anime de 2015 baseado numa light novel publicada desde 2012 que conta a história do protagonista Aki Tomoya ao lado de seu harém não muito convencional - digo isso porque a obra ironiza e faz piadas de vários lugares comuns e artifícios usados em histórias desse gênero, apesar de, ao mesmo tempo, abusar deles para avançar em sua narrativa. Além das animações a light novel (que acabará este ano com 13 volumes) gerou ainda um spin-off no mesmo formato, três versões em mangá (que no momento contabilizam juntas 17 volumes) e uma visual novel para PS Vita em 2015.

Produzido pelo estúdio A-1 Pictures e a ser exibido no bloco noitaminA igual ao primeiro anime, a equipe principal não sofreu mudanças, e teremos novamente Kanta Kamei na direção, Fumiaki Maruto ("Classroom Crisis", "White Album 2") na supervisão de roteiros, Hajime Hyakkoku ("K-ON!", "New Game") na trilha sonora e Tomoaki Takase ("Occultic;Nine") no "character design".

**********

Formato: TV
Data de estreia: 06/04
Estúdio: P.A. Works
Diretor: Soichi Masui ("Hitsugi no Chaika", "Scrapped Princess")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

Para um estúdio que sempre fez acordos para retratar fielmente cidades e vilas com o intuito de fomentar o turismo de maneira indireta, este tema lhe cai extremamente bem...

Descrito e divulgado pelo próprio P.A. Works como a terceira produção original deles a focar em algum tipo de trabalho - já que tivemos garotas trabalhando numa hospedaria em "Hanasaku Iroha" (2011) e mulheres auxiliando na produção de animes em "Shirobako" (2014) -, "Sakura Quest"  virá com um elenco feminino formado por cinco jovens que atuarão no departamento de turismo de uma pequena cidade rural em decadência. O objetivo da prefeitura local é reviver um programa de "micro-nação" muito popular anos atrás no Japão, e elas servirão como "monarcas" durante um ano nesse país fictício a fim de reacender o turismo da região.

Antes de seguir com a descrição das personagens, vale como trivialidade abordar melhor sobre a questão de micro-nações no Japão. Este texto (em inglês) já explica o tema em detalhes, mas basicamente, enquanto a primeira nação do tipo a surgir por lá foi a "New Yamatai Nation" em 1977 (não consegui achar fontes dizendo se era uma brincadeira ou tentativa real de separação), o boom dessa moda ocorreu por influência do livro "Kirikirijin" do renomado escritor Hisashi Inoue publicado em 1981, onde uma pequena vila declara independência do país e faz de seu marginalizado dialeto a língua oficial, decisão essa que resulta até mesmo em conflitos civis. Inspiradas pela obra, várias cidades e vilas começaram a declarar também sua "independência", e uso aspas aqui porque a grande maioria aproveitou-se disso para fomentar o turismo local ao ressaltar seus atributos, em destaque a área industrial - e dessa forma houveram pérolas como a "República da Batata", "O Reino do Caranguejo", "República do Álcool", "República Tsuchinoko" e "Estados Unidos de Soyanka" (palavra presente no dialeto de Osaka) e por aí vai (boa parte sequer fazia muito além de inventar um nome e focar na venda de seus produtos, enquanto outras se esforçavam para simular a visão de um novo país ao estabelecer edificações próprias, passaporte, moeda local, governantes etc). Haviam sim alguns casos de regiões que almejavam mesmo a separação, mas no geral o governo japonês via essa febre como brincadeira inofensiva e inclusive estimulava sua continuidade com eventos e visitas "formais" de políticos às nações recém fundadas (que chegaram a 200 em seu auge), porém a moda rapidamente encontrou seu fim: A crise econômica do Japão no final dos anos 80 fez elas desaparecerem aos poucos, mas hoje ainda existem cerca de 50 micro-nações em atividade (duas ou três delas com intenções sérias, mas nada ameaçadoras, de querer independência de fato, e o restante são projetos turísticos).

E para esclarecer algum possível equívoco, as sinopses do anime citam que a tal cidade na qual as protagonistas trabalharão, Manoyama, decide reviver o programa de micro-nação após ele ser suspenso devido a última crise econômica, mas pelo que é possível ver nos trailers eles devem estar falando da crise mundial de 2008.

Dito isso, resta mencionar alguns dos personagens listados no site oficial - apenas as protagonistas porque os demais não possuem textos muito interessantes. Complexada por se achar um tanto normal demais, a líder Yoshino Koharu não tem dado sorte em Tóquio, lugar onde já ouviu mais de trinta negativas enquanto procura por emprego, e no fim aceita a inusitada oferta de tornar-se monarca da micro-nação "Reino Chupacabra" (é sério! Podem ouvir um velho falando o nome aos 1:04 do primeiro trailer) apesar de detestar a vida no campo. Já a descolada Maki Midorikawa se vê obrigada a voltar para sua cidade natal após seu sonho de tornar-se atriz não ter rendido frutos, e ela é uma pessoa acostumada com empregos temporários uma vez que fazia isso direto enquanto era membro de uma trupe de teatro. Chiemi Tanaka, por outro lado, sempre odiou a vida rural de Manoyama, todavia nunca teve coragem de agir quanto a isso, e depois de terminar o ensino médio ela não conseguiu se encaixar num emprego e virou uma jovem que passa o tempo todo em casa navegando na internet - por ter dificuldades em falar com os outros Chiemi possui como única amiga a conservadora e otimista Shiori Shinomiya, funcionária do departamento de turismo da cidade que tanto ama. Por último, temos Sanae Kouzuki, mulher nascida em Tóquio que trabalhava numa empresa de TI até decidir levar um estilo de vida mais saudável e sustentável, o que a fez alugar uma velha casa no interior para trabalhar com web design.

Eu sou bastante incrédulo com a maior parte das produções do P.A. Works, contudo confesso que este foi um dos animes que mais me causou interesse à primeira vista seja pelo tema proposto, seja pela expectativa de se testemunhar um slice-of-life rural com personagens adultos bem caracterizados e desenvolvidos.

A ser dirigido pelo experiente Souichi Masui, "Sakura Quest" terá ainda Masahiro Yokotani ("All Out!!", "Free!", "Maria Holic") na supervisão de roteiros e Kanami Sekiguchi ("Charlotte", "Hanasaku Iroha", "Tari Tari") adaptando o "character design" originalmente criado por BUNBUN ("Shuumatsu no Izetta", "Yuuki Yuuna wa Yuusha de Aru ").

**********

Formato: TV
Data de estreia: 05/04
Estúdio: David Production
Diretor: Shinya Kawatsura ("Kokoro Connect", "Non Non Biyori", "Stella no Mahou", "Tanaka-kun wa Itsumo Kedaruge")
Gênero: Drama / Suspense
Tema: Escolar / Super poderes
De onde saiu: Novel, 7 volumes, finalizada.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Aproximadamente metade da população de Sakurada, uma pequena cidade litorânea no Oceano Pacífico, possui algum tipo de poder. Neste local há um grupo chamado "Kanrikyoku" que controla e monitora o uso deles, e os adolescentes do primeiro ano Kei Asai e Misora Haruki fazem parte de um clube em sua escola, denominado "Houshi", que executa missões repassadas por tal grupo. Misora é capaz de resetar o mundo em 3 dias, fazendo com que qualquer evento ocorrido neste período deixe de existir - e ela própria não se lembrará deles também -, enquanto Kei possui o poder de reter perfeitamente na memória tudo que ouve ou vê, até mesmo o que se passou nos dias "apagados" por Misora ao usar sua habilidade. Combinando seus poderes, os dois conseguem assim modificar o passado para alterar o presente a fim de completar as missões passadas por Kanrikyoku.

Baseado numa novel que teve 7 volumes publicados entre 2009 e 2012 e já foi adaptada para uma versão em mangá composta por 2 volumes e outra cuja publicação teve inicio agora em fevereiro, além de dois filmes live-action (clique aqui para ver o trailer do primeiro) que serão lançados dias 25 de março e 13 de maio, "Sakurada Reset" traz uma mistureba de clube escolar e jovens com superpoderes resolvendo missões de uma organização um tanto secreta que, confesso, não me empolgou muto após ler os capítulos iniciais da versão em mangá já finalizada - pois a novel não possui traduções disponíveis. Claro que só vi metade do primeiro caso (nem esse foi todo traduzido) e foram deixadas pistas de que o problema em si é maior do que parece, mas quando surge uma pessoa querendo que você resete o mundo em 3 dias para salvar um gato, bem...

Parece bobagem, mas é isso mesmo: Depois de uma introdução básica sobre a ambientação da obra, a primeira cliente que vemos ser recebida por Misora e Kei é Youka Murase, uma mulher que pede a dupla para salvar um gato morto no dia anterior. Esta é a deixa tanto para descobrirmos como funciona o poder de Misora, que possui suas limitações (a imagem já explica tudo, mas em resumo não é possível ir e voltar no passado à vontade), quanto para conhecermos Seika Nonoo, estudante de outra escola que carrega o conveniente poder de... Conseguir dividir sua consciência com qualquer gato da cidade, o que em tese facilitará na busca pelo bichano azarado. E é nesse suspense juvenil protagonizado por um rapaz normal, normal, e uma garota inexpressiva que obedece tudo o que o companheiro fala e nunca sabemos quando está fazendo uma piada ou não (já digo que não gostei dela, e pra variar será dublada pela diva Hanazawa Kana), que vão sendo desvendadas pouco a pouco novas peças desse caso, deixando implícito que o felino seria só uma desculpa para uma situação mais grave e perigosa - ou isso, ou o mangá que supervalorizou alguns eventos e diálogos, mas prefiro acreditar no primeiro.

Perdão se o que li não serviu pra muito, porém além de não ter visto quase nada, se eu desse mais detalhes já estaria prejudicando a graça de uma história cujo gênero não permite passar tantos spoils. Como falei acima, a premissa do caso de abertura me desanimou, contudo tenho interesse em ver no anime como ele se desenrolará.

Outro ponto que gostaria de maiores esclarecimentos é a origem dos poderes para tanta gente: Uma das sinopses oficiais apenas diz que eles surgem através de desejos gentis e sinceros como "querer ser capaz de fazer desaparecer as lágrimas da pessoa a minha frente" ou "ser ouvido por alguém", por exemplo, o que dá brecha para o uso de argumentos dramáticos (e potencialmente piegas) com o intuito de explicar como esse ou aquele personagem obteve tal poder. Fechando com as descrições de alguns personagens, temos Tomoki Nakano, amigo de Kei que consegue gravar mensagens e manda-las para a mente das pessoas em qualquer (ou não, porque sequer citaram se há limitações) período de tempo; Hitsuchi-kun, um informante que odeia se encontrar com as pessoas diretamente, preferindo falar só por telefone, e pra evitar ter sua identidade descoberta usa um aparelho para alterar a voz; Shintarou Tsushima, professor na escola dos protagonistas e membro do Kanrikyoku (ah, talvez este nome mude no anime, porque o vi escrito de outras maneiras dependendo da fonte), que atua como conselheiro do clube deles; Witch, uma enigmática senhora de cargo alto no Kanrikyoku que fica trancada numa sala impenetrável o tempo inteiro e é capaz de ver o futuro; Eri Oka, garota da qual só foi dito que usa lentes de contato vermelhas e seu poder é ligado a elas, junto ao detalhe de que por algum motivo carrega sentimentos mistos de respeito e desprezo por Kei; e Sumire Souma, uma colega do casal principal que dois anos atrás morreu durante uma das ocasiões na qual eles voltaram no passado (no tempo original não tinha lhe acontecido nada), sendo que desde então Kei e Misora esperam por uma chance de reverter a tragédia (parece spoil grande, mas se está na descrição da personagem é porque trarão cedo tal questão à tona).

A ser produzido pelo estúdio David Production ("
JoJo's Bizarre Adventure", "Monster Hunter Stories: Ride On"), "Sakurada Reset" virá com o ótimo Shinya Kawatsura na direção (pacing decente é o que não vai faltar neste anime, só falta o enredo colaborar também!), Katsuhiko Takayama ("Aldnoah.Zero", "Big Order", "Mirai Nikki", "Triage X") na supervisão de roteiros (esquece o que falei...) e Tomoyuki Shitaya ("Bakuman." "Shokugeki no Souma") no "character design".

**********

Formato: TV
Estúdio: ILCA
Diretor: Noboru Iguchi ("Yami Shibai 2nd Season")
Gênero: Terror
Tema: Sobrenatural
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui

Nova animação original de terror e com episódios de curta duração do estúdio ILCA ("Yami Shbai", "Kowabon", "Kurayami Santa"), "Sekai no Yami Zukan" será uma coletânea de histórias que focará em temas como óvnis, criaturas míticas, maldições, civilizações antigas, poderes sobrenaturais, espíritos, casos bizarros, dimensões paralelas e lendas urbanas, tudo isso narrado por meio de ilustrações que imitarão as de um livro, conforme podem ver nestas imagens prévias - enfim, veremos neste anime episódico uma mistura de elementos comuns em histórias de suspense e terror, ao contrário de outras obras desse gênero do estúdio que tratavam cada qual um campo específico.

O ator, cantor e modelo Takumi Saito está creditado como "contador de histórias" em tal projeto, e seus criadores afirmam que a intenção do anime é evocar a atmosfera retrô de histórias de terror publicadas em revistas baratas, que eram muito populares no início do século 20 e 30 (no Japão esse tipo de publicação ganhou atenção tardia, após a 2ª Guerra Mundial). Dentre a equipe principal de produção, o único nome citado por ora é o de Noboru Iguchi na direção, profissional que até hoje comandou somente a segunda temporada da desgastada franquia de terror "Yami Shibai" (a qual apenas o primeiro anime foi realmente bom, mas pelo menos ele não dirigiu a terceira ou quarta temporada da série, que são péssimas).

Caso surjam novas informações sobre essa animação original eu as divulgarei por aqui.   









Clique aqui para ir à segunda página do post onde no momento há mais (11) animes listados.


**********


TOTAL:
50 estreias

22 continuações / spin-offs
13 novas adaptações de mangás
06 novas animações originais
03 novas adaptações de jogos (Dispositivos móveis: 2; Playstation Vita: 1)
01 nova adaptação de light novel
01 nova adaptação de novel
01 nova adaptação de manhua
01 nova adaptação de uma série de model kits
01 nova adaptação de uma série de figures
01 nova adaptação de uma linha de brinquedos

Alguns dados aleatórios e inúteis sobre a montagem desse guia:

Número de mangás e light novels que eu li pelo menos um capítulo: 08
Número de volumes completos lidos: 14
Número de capítulos lidos: 79
Número de imagens reunidas no post de mangás e light novels que eu li: 454
Dias passados desde o início da montagem do guia até a sua postagem: 22

Quantas figures encomendei nesse período das quais estou pacientemente esperando pela chegada delas: 6, que são esta da Kirino de "Ore no Imouto" (não sou fã da personagem, mas gostei da figure), esta da Kashiwasaki Sena de "Boku wa Tomodachi ga Sukunai" (idem), a Iori Rinko de "Gundam Build Fighters" (dessa nem vi o anime, mas conheço a personagem através de outros meios não oficiais, digamos assim), uma nendoroid da Luluco de "Uchuu Patrol Luluco", e figures simples de Megumin e Darkness de "Kono Subarashii". Já esta não é figure, mas também encomendei uma caneca da Shijou Takane de "The IDOLM@STER"...

Será que comecei a jogar outro jogo da franquia de "Neptunia"?: Sim, dessa vez "Hyperdevotion Noire: Goddess Black Heart", que possui um estilo chibi e é mais focado no RPG em comparação com os outros títulos. Por conta do guia estou sem jogar há mais de duas semanas, porém até o final do mês tentarei continuar com ele.


**********

Animações mais - e também menos, por que não - esperadas pela comunidade do MyAnimeList (de acordo com o total de usuários que já adicionaram cada anime às suas listas) (números do dia 19/03):

 Shingeki no Kyojin Season 2 - 207,102
 Boku no Hero Academia 2nd Season - 76,405
 Dungeon ni Deai wo Motomeru no wa Machigatteiru Darou...- 34,799
 Boruto: Naruto Next Generations - 34,499
 Saenai Heroine no Sodatekata ♭ - 32,766
 Granblue Fantasy The Animation - 27,867
 Shingeki no Bahamut: Virgin Soul - 28,626
 Eromanga-sensei - 20,643
 Berserk (2017) - 19,814
10º Zero kara Hajimeru Mahou no Sho - 18,806
...
...
...
57º Makeruna!! Aku no Gundan! - 83
58º Buppu na Mainichi - 44
59º 100% Pascal-sensei - 34
60º Akindo Sei no Little Peso -